Mato Grosso terá centro de pesquisa

Agronegócio

Mato Grosso terá centro de pesquisa

A Embrapa Mato Grosso, como será chamada, ficará sediada na cidade de Sinop, a 500 km de Cuiabá
Por:
269 acessos
A Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), vai instalar um centro de pesquisa no Estado de Mato Grosso. O Conselho de Administração (Consad) da Empresa autorizou, em sua primeira reunião do ano, a implantação da Unidade, prevista no Programa de Fortalecimento e Crescimento da Embrapa, o PAC Embrapa. A Embrapa Mato Grosso, como será chamada, ficará sediada na cidade de Sinop, a 500 km de Cuiabá.

“Dois pontos importantes justificam a Embrapa Mato Grosso. Primeiro a riqueza biológica da região, concentrando as chamadas áreas de transição, onde se encontram os biomas da Amazônia, Cerrados e Pantanal. Segundo por que o Estado concentra mais de 17% da área cultivada do País, com forte impacto nos resultados da produção agrícola brasileira, além de ser um importante centro de produção pecuária”, afirmou o diretor-presidente da Embrapa em exercício, Kepler Euclides.

Euclides, explica que a nova unidade deverá buscar soluções e inovações para problemas da cadeia de produção agropecuária nacional, incluindo pequenos produtores, agricultores familiares e comunidades tradicionais. Atenderá também as especificidades locais de seu território de intervenção. A isso se inclui a validação ou adaptação local de soluções desenvolvidas, ou em fase de desenvolvimento por outros centros de pesquisa da Empresa. Atualmente, 12 destes centros já atuam na região por meio de parcerias.

Coordenar e integrar ações

Entre outros objetivos, a Embrapa Mato Grosso deverá coordenar e integrar ações de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, em sistemas integrados de produção de alimentos, fibras, florestas e agroenergia para o desenvolvimento de tecnologias com enfoque na preservação e na sustentabilidade. A unidade contará para isso com uma equipe de 101 pessoas, entre pesquisadores, analistas e assistentes que serão contratados ao longo dos próximos dois anos, com vagas proporcionadas pelo PAC Embrapa.

As ações para efetivar a construção da Unidade, como elaboração de projeto arquitetônico e processo de licitação para contratação da obra, já estão sendo implementadas. Serão cinco mil m2 de área construída com laboratórios, auditório, biblioteca, salas de reuniões e de trabalho, garagens e oficinas. Serão erguidas também estação meteorológica de alta precisão e casa de vegetação entre outras estruturas de suporte para execução de pesquisas.

Além dos recursos para as obras, o PAC Embrapa está proporcionando a aquisição de bens que comporão a infra-estrutura necessária ao funcionamento da Unidade. Foram adquiridos veículos para transporte de pessoas e carga, tratores, máquinas e implementos agrícolas além de equipamentos laboratoriais e de informática.

PAC Embrapa

O Programa de Fortalecimento e Crescimento da Embrapa, lançado pelo presidente Lula em abril do ano passado, tem o objetivo de reestruturar a pesquisa agropecuária brasileira, incluindo as Organizações Estaduais de Pesquisa (Oepas). O PAC Embrapa tem possibilitado a reestruturação física e institucional da empresa, inclusive em sua atuação internacional. Tem proporcionado ainda a capacitação dos empregados e a contratação de novos com expertises em áreas como agroenergia, biotecnologia, nanotecnologia e mudanças climáticas.

Além da Embrapa Mato Grosso, outras dois novos centros de pesquisa estão previstos no PAC Embrapa: um em Tocantins e outro no Maranhão. O monitoramento por satélite das obras do PAC do Governo Federal também está incluído no programa. As informações são da assessoria de imprensa da Embrapa.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink