Medalha estimula inovação científica

Agronegócio

Medalha estimula inovação científica

A Embrapa recebeu duas patentes pelo desenvolvimento da tecnologia de utilização de feromônios para controle de percevejos-praga
Por:
640 acessos

O pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Miguel Borges recebeu no dia 29/11, durante a solenidade em comemoração ao 42º aniversário da Unidade, a "Medalha de Honra ao Mérito em Inovação Agropecuária" 2016 pela descoberta da importância da comunicação química de várias pragas, o que culminou no patenteamento e licenciamento de tecnologia para o desenvolvimento de iscas para o percevejo da soja.

As pesquisas com semioquímicos (substâncias químicas que os insetos utilizam para se comunicar) foi iniciada por Miguel Borges na década de 1990. E integram uma estratégia maior da Embrapa de desenvolver soluções sustentáveis capazes de reduzir os ataques de pragas às lavouras brasileiras, ajudando ao mesmo tempo, os produtores, a população e o meio ambiente.

A utilização de semioquímicos (feromônios) para monitorar e controlar os percevejos-praga de soja e arroz tem como objetivo reduzir o uso de defensivos químicos nas lavouras.

No caso da soja, a tecnologia da Embrapa foi licenciada para controle do percevejo marrom da soja (Euchistus heros) para a empresa ISCA Tecnologias Ltda., que vai disponibilizá-la para o setor produtivo. No caso do arroz, é capaz de controlar o percevejo-do-colmo (Tibraca limbativentris), uma das piores pragas dessa cultura no país porque suga a seiva nos colmos (caules) das plantas, diminuindo a produção de grãos e causando perdas na produção de até 80%. O inseto ocorre na maioria das regiões produtoras de arroz do Brasil e é nocivo aos diferentes sistemas de cultivo, tanto irrigados (terras baixas) como de sequeiro (terras altas).

A tecnologia se baseia na utilização de feromônios (substâncias que os insetos utilizam na sua comunicação com os outros insetos da mesma espécie) para monitorá-los e controlá-los nas diferentes lavouras. Trata-se de um método racional e seguro, com grande potencial de utilização em programas de manejo integrado de pragas porque pode reduzir significativamente e, até mesmo, eliminar a utilização de defensivos químicos nas lavouras. Os inseticidas além de ineficientes para controlar os percevejos, causam resistência nos insetos, são nocivos a quem os aplica, eliminam insetos benéficos, como as abelhas e inimigos naturais, e, no caso do arroz irrigado pode contaminar a água de rios e mananciais.

A Embrapa recebeu duas patentes pelo desenvolvimento da tecnologia de utilização de feromônios para controle de percevejos-praga. A primeira, em 2013, foi voltada ao complexo de percevejos da soja, e em 2016, ao percevejo-do-colmo do arroz.

A Medalha
    
A "Medalha de Honra ao Mérito em Inovação Agropecuária" foi criada pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia em 2011 e é entregue todos os anos no aniversário da Unidade a cientistas que se destacam individualmente ou em parceria por suas descobertas e feitos inovadores de importância científica e tecnológica em prol da competitividade, sustentabilidade e qualidade da agropecuária brasileira.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink