Médico Veterinário da Biogénesis-Bagó descreve a pecuária no Paraná

Agronegócio

Médico Veterinário da Biogénesis-Bagó descreve a pecuária no Paraná

Estado tem grande produção láctea e ganha fortalecimento através de suas coorperativas
Por:
1925 acessos
Estado tem grande produção láctea e ganha fortalecimento através de suas coorperativas

Localizado na Região Sul do país, o estado do Paraná ocupa uma área de 199.554 km2 com 399 municípios instalados, divididos em cincos zonas naturais do estado: o Litoral, a Serra do Mar, O Primeiro, Segundo e Terceiro Planaltos. Os setores agroindustrial, alimentício, eletroeletrônico e metalomecânico merecem destaque pelo ritmo acelerado pelo qual vem crescendo.

Os indicadores econômicos do Paraná o credenciam entre os estados mais produtores do Brasil, com cerca de 23% da produção brasileira de grãos, com destaque para o trigo, milho, feijão, algodão, soja, café, mandioca, cana-de-açúcar e a erva-mate, além da avicultura, suinocultura e bovinocultura de leite e de corte.

O rebanho bovino do Estado alcançou 10.153 cabeças em 2005, segundo o último balanço divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Já o rebanho suíno do Paraná apresenta números elevados. Segundo dados do mesmo levantamento, o Estado possui 4.548 cabeças.

A produção de leite no Paraná é a maior da região sul: 2.519 milhões de litros produzidos. Destaque também para a maior produção de caprinos no sul do país. Em 2005 atingiu a marca de 115 mil cabeças, contra 97 mil em 2004. O GD responsável do Distrito Sul, Saint’Claire Canedo, confirma a potência do Estado na produção láctea. “O Paraná conta com regiões altamente especializadas neste setor, o que favoreceram e potencializaram a vinda de indústrias lácteas renomadas para cá.”

Outro fator que Saint’Claire destaca é o clima variável que favorece o gado de corte. “As condições climáticas do Estado do Paraná são perfeitas para trabalhar com gado zebu e gado europeus.”

Atualmente, o Paraná mantém o programa de vacinação contra febre aftosa, com duas campanhas durante o ano. Muito se fala na erradicação da vacina, onde faz cinco anos deste a constatação do último caso da doença no Estado. “É importante ressaltar os benefícios da vacina contra a febre aftosa, porém especula-se que a erradicação da mesma no Paraná será uma realidade muito breve”, destaca Saint’Claire.

O estado do Paraná é atendido pela Biogénesis-Bagó em dois distritos: o Distrito Sul e Distrito Pantanal. O Distrito Sul, coordenado pelo Gerente Distrital (GD), Saint' Claire Canedo, atende as regiões do Norte Pioneiro, Campos Gerais, Capital, Sudoeste e Oeste. A equipe é composta de 4 agentes comerciais e 1 coordenador técnico de vendas (CTV).

Já o Distrito Pantanal é coordenado pelo outro Gerente Distrital (GD) Paulo Rogério P. Costa. As regiões Norte e Noroeste são atendidas por este distrito que conta com o atendimento de 3 coordenadores técnicos de vendas (CTVs), 1 vendedor técnico (VT) e 1 coordenador técnico comercial (CTC).

Para finalizar, o GD destaca o sucesso das cooperativas do Paraná. “O estado é caracterizado pela influência da colonização européia e asiática, facilmente observada pela força do cooperativismo, exemplo de sucesso para o mundo”, completa o GD.

As informações são da assessoria de imprensa da Biogénesis-Bagó.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink