Menos competitiva, carne suína custa 61% mais que a de frango
CI
Agronegócio

Menos competitiva, carne suína custa 61% mais que a de frango

Na média do mês, carcaça comum suína é cotada a R$ 5,33/kg
Por:

A carne suína está menos competitiva que há um ano, principalmente frente à de frango. Na parcial de abril (até o dia 24), o valor da carcaça comum suína superou em 60,7% o da do frango resfriado; em igual período de 2013, ficava apenas 30,5% acima. Em relação à bovina (carcaça casada), neste mês, a carne suína é negociada a uma cotação média 31,6% mais baixa, sendo que, em abr/13, o preço era 32,4% menor.

Na média deste mês, a carcaça comum suína é cotada a R$ 5,33/kg no atacado da Grande São Paulo, valor 21,4% superior aos R$ 4,39/kg registrados em abril/13. A elevação do patamar é resultado da combinação de menor oferta com maior demanda neste período do ano. Para a carcaça casada bovina, também comercializada no atacado paulista, a valorização foi de 20%, com o quilo do produto passando de R$ 6,49/kg para R$ 7,79/kg. Já o frango resfriado se desvalorizou 1,5% em igual comparação, de R$ 3,36/kg para R$ 3,31/kg.

 Entre 17 e 24 de abril, especificamente, a carcaça comum se valorizou 1,1% no atacado da Grande São Paulo, sendo negociada na média de R$ 5,38/kg nessa quinta-feira, 24. Já a carcaça especial se desvalorizou 1% no período, a R$ 5,50/kg. 

Para o suíno vivo, predominaram variações negativas de preços, devido aos estoques relativamente elevados no atacado e varejo e à baixa demanda da população, em função da Semana Santa e da segunda quinzena. O maior recuo em sete dias foi para o Indicador CEPEA/ESALQ de Minas Gerais, de 2,2%, com o fechamento dessa quinta-feira a R$ 3,55/kg. Na sequência, com baixa de 1,2%, esteve o Indicador do Paraná, que fechou a R$ 3,23/kg na quinta. Em São Paulo, houve desvalorização de 0,5% no período, com o Indicador indo para R$ 3,63/kg, em média. No estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, os Indicadores permaneceras estáveis, em R$ 3,10/kg e R$ 3,24/kg, respectivamente. 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink