Mercado de Commodities
CI
Agronegócio

Mercado de Commodities

No caso do milho, a semana também iniciou em alta
Por:
Por Gilda M. Bozza - Economista DTE/FAEP

Nesta segunda-feira (9), a semana iniciou em forte alta, alavancada pelas condições climáticas vigentes nas principais regiões produtoras dos Estados Unidos.

A alta foi de US$ 0,91 por saca para os contratos de julho relativamente ao preço negociado na sexta-feira (US$ 35,79 por saca), fechando o pregão a US$ 36,70 por saca, equivalente ao dólar vigente R$ 74,44 por saca. Para agosto o preço referência foi de US$ 35,42 por saca, correspondente a R$ 71,83 por saca. Os preços praticados são recordes, batendo a marca de 2008 quando ocorreu a crise mundial de alimentos, com o preço de US$ 16,00 por bushel (US$ 35,27 por saca).

No caso do milho, a semana também iniciou em alta, haja vista os prejuízos que a lavoura apresenta, com preço acima de US$ 7,00 por bushel (US$ 16,53 por saca). Os contratos para o primeiro vencimento julho/12 foram negociados a US$ 18,37 por saca, evidenciando mais um recorde de preço internacional para o cereal e um aumento de 4,3% ou US$ 0,75 por saca. Já os contratos para setembro, fecharam a US$ 17,29 por saca, equivalente, ao dólar vigente a R$ 35,06 por saca.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos - USDA, divulgou as condições das lavouras, sendo que para o milho cerca de 40% entre boas a excelentes, 30% entre ruins a muito ruins. No entorno de 50% das lavouras de milho estão na fase de pendoamento ou polinização e os outros 50% ainda não entraram na safe de polinização, o que deverá ocorrer nos próximos dias.

As previsões climáticas apontam a ocorrência de chuvas esparsas , exceto para o Meio-Oeste norte-americano.

As atenções do mercado voltam-se para os próximos 15 dias, com o foco na questão climática, fundamental para dar rumo ao mercado.

O mercado do trigo acompanha o mercado do milho e os futuros para julho foram negociados a US$ 17,87 por saca, equivalente a R$ 36,25 por saca.

Quanto ao mercado doméstico, a soja paranaense acompanhou os preços da Bolsa de Chicago, entrando na onde de alta. Com isso, o preço diário apurado pela SEAB foi de R$ 65,17 por saca. Na praça de Ponta Grossa, média de preço a R$ 73,00 por saca.

Para o milho, preço médio SEAB de R$ 21,65 por saca. Já para o trigo, o referencial paranaense foi de R$ 26,94 por saca.

O milho vem apontando evolução constante de preços, cotado a R$ 21,46 por saca. No Porto de Paranaguá (CIF) referencial de R$ 28,50 por saca.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink