SEM CRESCER ÁREA

Mercado de sementes de grama começa forte em 2018

Mercado nos Estados Unidos está aquecido
Por: -Leonardo Gottems
32 acessos

Os produtores de semente de grama começarão 2018 bem, como a oferta mundial é equilibrada com a demanda. “Nós não temos que nos preocupar com uma queda dramática de preços neste ano ou no ano que vem”, disse Claus Ikjaer, presidente e CEO da CLF Pickseed.

O panorama do mercado é positivo, apesar do dólar forte, disse Ikjaer. Pelo mesmo montante de dinheiro, compradores podem adquirir 80 libras de sementes comparando às 100 libras que se compravam em 2011. Tradicionalmente, preços fortes de sementes de grama gerariam mais produção, mas isso não ocorreu quando outros preços de commodities estava “saudáveis” e esses cultivos competem espaço de terra, disse.

“A produção não vai crescer como antes”, disse Ikjaer no dia 5 de Dezembro durante a conferência da Liga de Produtores de Sementes de Oregon.

Agora que os preços das commodities estão fracos, os produtores de sementes de grama esperam responder pela expansão de terra. No entanto, em Oregon, produtores dedicam cada vez mais terras à avelãs.

No Oregon, a área de semente de gramas caiu de 525 mil acres em 2006 para aproximadamente 375 mil acres em 2010, quando os preços caíram em função da crise hipotecária. Em 2010, a produção das sementes recuperou para aproximadamente 400 mil acres em 2017 e deve permanecer igual no ano que vem.

Nos Estados Unidos, uma produtividade menor das sementes de grama acabou com o estoque de certas espécies. A espécie mais comumente exportada é o azevém com 46% do mercado e a China como maior comprador, seguida pela Europa.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink