Mercado de suínos sinaliza melhora

Agronegócio

Mercado de suínos sinaliza melhora

No mercado paulista os preços variam entre R$ 42,00 e R$ 43,00 a arroba
Por: -Janice
1728 acessos
Após estagnação de três semanas e de grande aflição por parte dos suinocultores, o preço de venda do suíno começou a reagir nos maiores centros de consumo. Em São Paulo, o mercado está bastante aquecido nessa semana com comercialização de 8.210 animais com preços variando entre R$ 42,00 e R$ 43,00 a arroba, o equivalente a R$ 2,24 e R$ 2,29 respectivamente, como informou a Associação Paulista de Criadores de Suínos (APCS). Já no mercado regional, segundo a entidade, o valor comercializado em pequenos volumes está com referências entre R$ 43,00 e R$ 44,00 a arroba. Segundo a Scot Consultoria, em relação há trinta dias, o preço vigente no estado é 7,6% maior, e desde o início do ano, houve desvalorização de 25,7%.

Ainda que haja aumento da demanda, o elevado patamar dos grãos que compõem a dieta dos animais preocupa os suinocultores. Por isso, a ABCS vem insistindo fortemente junto ao governo federal que estabeleça medidas emergenciais para a sustentabilidade da suinocultura. Entre elas a liberação de maior quantidade da venda de milho a balcão da Conab, que tem variado de 10 a 14 toneladas/mês a depender do estado, já que hoje o setor necessita de pelo menos 54 toneladas/mês. Além disso, solicita também a prorrogação de dívidas contraídas referente a empréstimos de investimentos e custeios no setor.

Esta semana, o deputado federal e presidente da Frente Parlamentar de Agropecuária, Valdir Colatto, também se reuniu em Chapecó com o presidente da Cooperalfa, Romeo Bet, para desenvolver uma estratégia comercial visando ampliar as vendas de carne suína, a começar pela rede Superalfa. O presidente da Cooperalfa acionou a equipe de suprimentos para que, até sexta feira dia 08, possa iniciar a operação.

Segundo a Associação Catarinense dos Criadores de Suínos (ACCS), o valor de comercialização do quilo do suíno nas principais cidades é de R$ 1,80, sem alterações se comparado a semana anterior, mas o mercado se mostra aquecido. Valor semelhante aos preços praticados no Paraná, conforme dados da Associação Paranaense de Suinocultores (APS), que informou a cotação de R$ 1,90 pelo quilo do suíno. Já no Rio Grande do Sul, os preços estão um pouco acima, R$ 2,08.

Em Minas Gerais, o quilo do suíno está sendo comercializado a R$ 2,30, segundo informou a Associação de Suinocultores do Estado de Minas Gerais (Asemg), mesmo valor das semanas anteriores.

Declarações

A expectativa é que os valores de venda tenham uma mudança substancial nessa semana. É grande a demanda dos frigoríficos pela carne suína e muitos negócios já foram fechados acima de R$ 2,40 o quilo do suíno vivo.
José Arnaldo Penna, vice-presidente da ASEMG e presidente da Bolsa de Suínos de Minas Gerais

A suinocultura começa a dar sinais de melhora, é claro que está muito longe para dar lucro, devido ao tamanho prejuízo que nos encontramos, porém é um passo para chegarmos lá. Ainda estamos com um custo de produção de R$ 2,70 o quilo.
Losivanio de Lorenzi, presidente da ACCS

Mercado bastante aquecido, com procura por animais elevada em grande parte do estado. A diminuição dos animais disponíveis no mercado com peso necessário para o abate nas últimas semanas equilibrou a demanda com a oferta, e agora o mercado tem mostrado reações positivas.
Cleo Barbiero, presidente do Núcleo de Criadores de Suínos do Grande Sarandi

As informações são da assessoria de imprensa da Associação Brasileira dos Criadores de Suínos – ABCS.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink