Mercado impede avanço do trigo na metade sul do RS

Agronegócio

Mercado impede avanço do trigo na metade sul do RS

Produtores pedem investimentos e revisão de zoneamento agrícola para incentivar lavouras de sequeiro
Por: -Renata
459 acessos
O desenvolvimento da lavoura sequeira na região sul do Estado foi tema de audiência pública nesta quinta-feira(18) na Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da AL-RS, coordenada pelo deputado Jerônimo Goergen(PP). A região vem sofrendo sistematicamente com a falta de suporte e apoio governamental para impulsionar o desenvolvimento da produção de trigo, principalmente pela condição desfavorável de mercado, já que os valores de venda da saca estão bem abaixo do preço mínimo para o trigo, que hoje está em 31 reais.

O engenheiro agrônomo Gerson Herter, um dos principais defensores do potencial produtivo da metade sul, apresentou uma série de levantamentos apontando a qualidade e a quantidade da produção na metade sul, que não perde em nada em comparação à outras regiões do Estado. Herter destacou que já existem desenvolvimentos eficientes de manejo do solo que garantem retenção de água, o que tem possibilitado sucesso da colheita. O engenheiro destacou ser importante o investimento governamental na região, apontando como fundamental a revisão do zoneamento agrícola da metade sul através do monitoramento do solo, que deverá ser feito por técnico da Fepagro. Porém Herter aponta outras medidas essenciais para alavancar a produção da metade sul:

“É fundamental que a partir desta audiência os parlamentares estaduais e federais possam sensibilizar o governo federal para que pratique a AGF(Aquisição do Governo Federal) para o trigo produzido na metade sul. Com a aquisição do nosso trigo, o governo poderia abastecer a região nordeste, que necessita do grão. Também é necessário investir no estímulo à pesquisa e em escolas técnicas, sem falar na ampliação de ofertas junto a instituições financeiras para custeio agrícola”, diz Gerson.

Todo o registro da audiência pública será encaminhado à secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado; à instituições financeiras; ao ministério da agricultura e secretaria da educação. O Coordenador da Frenteagro da AL-RS entende que um passo importante foi dado para encontrar soluções para a questão:

“Temos um desafio de enfrentar a situação desta região que precisa de uma alternativa econômica em cima do setor primário, levando em conta as condições climáticas. Existem dados de produtores que indicam a viabilidade de produção na região, desde que sejam adotadas políticas públicas que possibilitem o crescimento da lavoura de sequeiro na metade sul. Estamos encaminhando o conteúdo da audiência à órgãos de governo e financeiros para que façam oficialmente estes estudos a fim de que se possa dar amparo ao produtor da metade sul, que tanto precisa de apoio”, afirma Jerônimo. As informações são da assessoria de imprensa do Deputado Estadual Jerônimo Goergen(PP).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink