EXCESSO DE OFERTA

Mercado só discute quanto vai cair preço do açúcar

Produção global pode superar demanda em até 8 milhões de toneladas
Por: -Leonardo Gottems
114 acessos

O mercado não discute se haverá um excesso de oferta de açúcar, mas sim qual será o tamanho desse excedente e quanto os preços podem cair. Essa foi a tônica da “Platts 4th Annual Kingsman Miami Sugar Conference”, que segundo a Agência Bloomberg, trouxe “poucas razões para otimismo nessa semana”.

De acordo com os analistas, a produção global superará a demanda entre 3,5 milhões de toneladas e 8 milhões de toneladas na safra 2017-2018, que começou nesse mês de outubro. Segundo Claudiu Covrig, analista sênior da Kingsman, já há projeções de nova abundância na próxima temporada, o que provavelmente manterá os preços baixos.

“O açúcar bruto já tem um dos piores desempenhos de 2017 entre as commodities, com queda de cerca de 28 por cento nos preços em Nova York. O preço se fixou em 14,11 centavos de dólar por libra-peso na quinta-feira. Mike Levitz, chefe de trading para as Américas da ED&F Man Sugar, prevê preços entre 12,5 centavos e 16 centavos de dólar na safra atual”, aponta a Bloomberg.

Ainda segundo a Agência, o assunto do momento no setor do açúcar é o fim das cotas na União Europeia, que deverá aumentar as exportações do bloco: “Mas parece haver mais oferta vindo de todos os lados. Índia e Tailândia, maiores produtoras da Ásia, terão safras maiores. Ucrânia, Rússia e Paquistão deverão ampliar as exportações. Até mesmo a produção de Cuba deverá aumentar nos próximos anos, segundo a Kingsman. As projeções de compras da China no exterior pouco mudaram, ou seja, os vendedores deverão lutar por um número limitado de clientes, disse Covrig”.

Na visão dos analistas de mercado, o que poderia acabar com a queda do preço do açúcar seria o clima, mas que ainda pode frustrar os ganhos da safra. O Brasil, por exemplo, sofreu com estiagem no início deste ano, o que pode ter prejudicado o potencial de rendimento das lavouras antigas de cana-de-açúcar do País, limitando a produtividade.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink