Merial promove palestras contra clostridioses em Goiás

Agronegócio

Merial promove palestras contra clostridioses em Goiás

O ciclo será realizado nos dias 01 e 02 de agosto, nas cidades goianas de Ceres e Rubiataba, respectivamente
Por:
10 acessos

Com o objetivo de difundir e ampliar o conhecimento técnico sobre o planejamento sanitário bovino e, principalmente, o controle das Clostridioses, uma das principais causas de mortalidade dos bovinos, a Merial Saúde Animal, inicia durante o mês de agosto, a segunda fase do Ciclo de Palestras contra Clostridioses. O ciclo será realizado nos dias 01 e 02 de agosto, nas cidades goianas de Ceres e Rubiataba, respectivamente.

No mês de abril, o Estado de Goiás foi escolhido para sediar a primeira edição do ciclo de palestras sobre o controle sanitário estratégico e formas de prevenção à Clostridioses. O evento, dividido em quatro palestras, reuniu cerca de 250 produtores e aconteceu nas cidades de Orizona, Silvânia, Bela Vista de Goiás e Piracanjuba.

Esta vez, as palestras contarão com a participação do professor Aires Manuel de Souza, da Universidade de Federal de Goiás, e do zootecnista e coordenador da Merial, Rafael Barros.

Provocada pelas bactérias do gênero Clostridium, as clostridioses, ou doenças clostridiais, constituem-se em importante ameaça à pecuária brasileira, gerando um prejuízo superior a R$ 1 bilhão/ano. De acordo com Rafael Barros, a presença de doenças clostridiais no rebanho é evidenciada por alguns sintomas. Entre eles, estão abatimento, andar cambaleante, manqueira, paralisia dos músculos dos membros e ausência de mastigação.

De caráter infeccioso, as doenças são verdadeiras ameaças a projetos de criação intensiva, como confinamentos de bovinos. “As clostridioses são toxinfecções ou intoxicações causadas por toxinas produzidas por bactérias específicas. Podem provocar várias doenças, entre elas a manqueira, enterotoxemia, morte súbita, gangrena gasosa, tétano e botulismo”, explica o zootecnista Rafael Barros.

O especialista acrescenta que as bactérias do gênero Clostridium multiplicam-se na ausência de ar e podem desenvolver formas altamente resistentes no ambiente. As clostridioses não discriminam sexo, vocação para corte ou leite ou idade dos animais. No entanto, as clostridioses e seus problemas podem ser evitados. “Um bom planejamento sanitário, que inclua vacinação inicial, segunda dose de reforço, e revacinações anuais, pode prevenir a ocorrência das doenças”, acrescenta.

Além da vacinação, recomenda-se também alguns procedimentos preventivos para evitar a disseminação da doença. Existem fatores pré-determinantes para o aparecimento da doença, como ausência de controle sanitário e carcaças de animais mortos expostas ao ar livre. As informações são da assessoria de imprensa da Merial.

- Mais informações sobre produtos e serviços da Merial podem ser obtidas pelo site www.merial.com.br ou o telefone 0800 888-8484


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink