Michel Temer anuncia concessão da Ferrogrão ligando Mato Grosso ao Pará

Agronegócio

Michel Temer anuncia concessão da Ferrogrão ligando Mato Grosso ao Pará

Mato Grosso foi contemplado com a concessão da ferrovia Ferrogrão, que liga Sinop a Miritituba, no Pará.
Por:
4901 acessos

Mato Grosso foi contemplado com a concessão da ferrovia Ferrogrão, que liga Sinop a Miritituba, no Pará.

A ferrovia Ferrogrão está entre os 30 projetos de concessão ou venda anunciados pelo presidente Michel Temer no final da manhã desta terça-feira, 13 de setembro. A previsão é que parte desses projetos sejam leiloados em 2017. A Ferrogrão tem investimentos previstos na ordem de R$ 10 bilhões e sua construção é pretendida pelas principais tradings do agronegócio (ADM, Amaggi, Bunge, Cargill, Louis Dreyfus), consorciadas com a Estação da Luz Participações Ltda. (EDLP).

O pacote de concessões e privatizações conta com 30 projetos divididos entre as áreas de energia, aeroportos, rodovias, portos, ferrovias e mineração. A intenção do presidente Michel Temer com o pacote é ampliar os investimentos para aquecer a economia brasileira, que encontra-se em recessão há mais de 18 meses, além de estimular a criação de empregos. 

A previsão do Governo Federal é que parte dos projetos sejam leiloados em 2017 e outra parte ainda no primeiro semestre de 2018. Mato Grosso com o pacote de projetos foi contemplado com a concessão da ferrovia Ferrogrão, que liga Sinop a Miritituba, no Pará.

A expectativa, como o Agro Olhar já comentou, é que as obras da linha férrea iniciem em 2019, com um prazo de execução de cinco anos. O trecho é de 930 quilômetros e pode trazer para o agronegócio uma redução de aproximadamente 40% no frete.

A previsão é que R$ 10 bilhões sejam investidos no modal. A Ferrogrão faz parte do antigo Programa de Investimentos em Logística (PIL), do Governo Federal, e sua construção é de interesse das principais tradings do agronegócio Amaggi, ADM, Bunge, Cargill e Louis Dreyfus, e consorciada com a Estação da Luz Participações Ltda (EDLP). Juntas, as cinco tradings respondem por aproximadamente 70 das exportações de soja.

A previsão é que pela Ferrogrão sejam transportados em torno de 15 milhões de toneladas entre soja, farelo de soja e milho, podendo vir a escoar 30 milhões.

A proposta da ferrovia foi apresentada pela Amaggi, Cargill, Bunge e Louis Dreyfus no começo de 2014, como o Agro Olhar já comentou. O interesse das tradings apresentado na ocasião era para que Mato Grosso viesse a ter quatro ferrovias: Sinop ao porto de Miritituba (PA), Sapezal a Porto Velho (RO) e Água Boa, região do Araguaia, até a Ferrovia Norte-Sul, em Goiás. A quarta ferrovia trata-se da Ferronorte, cujos trilhos chegaram a Rondonópolis em 2013.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink