Milho: Depois da safra, preocupação é o preço
CI
Agronegócio

Milho: Depois da safra, preocupação é o preço

Média de produtividade está entre as 130 e 140 sacas por hectare
Por:
Com a aproximação do encerramento da colheita do milho, a insegurança com a produtividade começa a dar espaço para o medo da queda acentuada no preço do produto. Do momento do plantio, no final do mês de agosto do ano passado, até o armazenamento do grão o clima comandava as ações dentro das porteiras agrícolas. Pouco mais de seis meses depois o temor está relacionado com o mercado do grão, que tem puxado o preço para baixo. A estimativa é que hoje perto de 98% do milho já tenha sido colhido. No começo da safra o preço médio pago pela saca de 60 quilos girava na casa dos R$ 30,00. No meio da semana o valor estava oscilando em cifras próximas dos R$ 25,00 a saca. A insegurança no momento é agravada pelo risco do apagão da logística. 

As enormes filas nos portos acabam dificultando a comercialização internacional do grão brasileiro. Uma das situações que mais está preocupando o agricultor é que o preço pode vir a sofrer novas reduções.

De acordo com o agrônomo da Cooperativa dos Agricultores de Chapada, Rudinei Rishter, há regiões onde a safra do milho está realizada em 98% das áreas plantadas. “Estamos nos aproximando do encerramento da colheita, que este ano deve registrar uma média de produtividade boa. Não é aquela imaginada durante a formação das lavouras, mas está bem acima dos números computados na safra passada”, explica o agrônomo. 

Foram necessários apenas dois momentos de desequilíbrio climático para haver queda de produção. Primeiro, uma geada no final do mês de setembro do ano passado prejudicou as plantas de milho que estavam em período de desenvolvimento vegetativo. Alguns produtores eliminaram as áreas mais atingidas e outra parte decidiu pelo replantio. Já no mês de novembro as chuvas ficaram abaixo da necessidade de consumo hídrico do milho, que vai de 5 milímetros a 7 milímetros de água por dia. 

Conforme o agrônomo, neste momento é possível sinalizar com uma maior segurança de que a média de produtividade não deverá ficar abaixo das 130 sacas por hectare, mas também dificilmente será maior do que 140 sacas/hA. “É uma boa média levando em consideração que durante o caminho houve problemas climáticos”, comenta Rishter. 

As primeiras estimativas dos agricultores, feitas com base na tecnologia que estavam levando para as suas propriedades para o plantio do milho, projetavam produtividade de 160 a 180 sacas por hectare. “A média inicialmente pensada não está se confirmando, mas ainda podemos dizer que a safra do milho é boa este ano”, comenta o agrônomo. Ele salienta que há casos onde o clima ficou mais próximo do ideal que a média de produtividade foi de 170 sacas por hectare. Na via inversa, onde o clima foi mais rigoroso com o frio e pouca chuva os números caíram para até 70 sacas/ha. 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.