Milho deverá ser o mais prejudicado

Agronegócio

Milho deverá ser o mais prejudicado

MT respondeu por 56% do montante nacional de milho exportado em outubro deste ano
Por: -Marcondes Maciel
1732 acessos
Com melhor desempenho na safra 09/10 – mais de oito milhões de toneladas colhidas - o milho será a única cultura a sofrer os impactos do fenômeno La Niña, motivado pelo atraso das chuvas da primavera justamente no momento do início do plantio da soja em Mato Grosso.

Pela avaliação da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado (Aprosoja/MT), o milho deverá ter perda entre 10% e 15% em relação ao volume de área previsto no atual ciclo. O prejuízo fica por conta do atraso no início da semeadura da soja, que retardou em quase um mês o plantio em grande escala no Estado.

“Os produtores que plantaram a soja prevendo colher em janeiro e fevereiro, deverão reduzir em no máximo 15% a área de milho devido ao encurtamento da janela de plantio”, explica o diretor administrativo da Aprosoja/MT, Carlos Fávaro. A safrinha de milho será plantada logo após a colheita da soja – das variedades normal e precoce – a partir de meados de janeiro.

“A poeira baixou e a tranqüilidade voltou ao campo”, comemora Fávaro, lembrando o susto do produtor com o atraso das chuvas no mês de setembro. “Muitos se prepararam para plantar na data programada, mas tiveram de fazer um novo planejamento. O susto foi grande, mas o impacto será mínimo”, frisou.

EXPORTAÇÕES - Mato Grosso respondeu por 56% do montante nacional de milho exportado em outubro deste ano, o que corresponde a 33% do volume produzido na segunda safra estadual. Na safrinha 09/10, o Estado – maior produtor nacional de milho safrinha – colheu 8,41 milhões toneladas. Diante deste volume, os embarques somaram 2,8 milhões t.

Conforme boletim semanal divulgado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), baseado na Secretaria de Comércio Exterior (Secex), em outubro de 2010 o volume de milho exportado pelo Brasil foi de 1,58 milhão de toneladas, volume 94% maior que no mesmo período do ano anterior, sendo que 47% do total exportado foram oriundos de Mato Grosso, ou seja, 753 mil toneladas. O Estado de Mato Grosso exportou 2,8 milhões de toneladas no período, o que supera em mais de 600 mil toneladas o volume embarcado por todos os outros estados da federação. (Colaborou Marianna Peres)
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink