Milho e soja: em oito meses, poder de compra do frango caiu 28%
CI
Agronegócio

Milho e soja: em oito meses, poder de compra do frango caiu 28%

Milho e farelo de soja vêm registrando queda de preço desde abril
Por:
Para alívio dos avicultores, milho e farelo de soja vêm registrando queda de preço desde abril e, com isso, minimizam as perdas que também o frango vem apresentando nesses dois meses.

Mas as baixas das matérias-primas em nada influenciam o poder de compra do frango que (considerados os preços atuais de milho e farelo de soja e supondo um “pacote” na proporção 3:1), continua no mesmo nível (baixo) de um ano atrás, ao mesmo tempo em que apresenta queda de 28% em relação a setembro do ano passado. Explicando:

Um “pacote” contendo 3 kg de milho e 1 kg de farelo de soja (aproximadamente a mesma proporção observada em uma ração para frangos) custa, no momento, R$2,61. Assim, um quilograma de frango vivo remunerado a R$2,20 adquire fração correspondente a 84% do “pacote”.

Comparativamente a maio de 2013 (quando o “pacote” custava R$2,20 e a cotação do frango vivo estava em R$1,80/kg), a fração então adquirível ficou não muito distante da atual: 82%. Mas em relação a setembro de 2013, quanta diferença! Porque naquele mês o valor recebido pelo frango (R$2,93/kg) permitiu adquirir não apenas uma fração, mas volume correspondente a 117% do “pacote” de milho/farelo de soja (R$2,50).

Justificando, o poder de compra do frango é, agora, 28% menor, pois enquanto o valor do “pacote” subiu, a remuneração obtida pelo frango vivo sofreu queda de, praticamente, 25%. Em consequência, para adquirir o mesmo “pacote” de setembro de 2013 o produtor necessita, atualmente, de um volume de frangos 39% superior.
 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink