Milho modificado de PE poderá ser reexportado


Agronegócio

Milho modificado de PE poderá ser reexportado

Por: -Admin
1 acessos

A carga de 17,8 mil toneladas de milho transgênico que chegou ao porto de Recife na semana passada deve ficar retida em silos no local por mais uma semana. A previsão é de Flávio Montiel, diretor de proteção ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). Segundo ele, o Ibama coletou uma amostra de 8 quilos do milho e enviou para testes na Universidade Federal de Minas Gerais. O laboratório da instituição vai analisar o teor de transgenia do milho, por meio de testes do tipo Elisa.

Fará também análise bioquímica para detectar a presença de outras substâncias. Montiel explicou que os testes devem levar cerca de uma semana. Com base nos resultados, o Ibama vai definir os procedimentos necessários para o transporte e armazenamento do milho modificado, as bases de um termo de ajustamento de conduta. O diretor do Ibama não descartou uma eventual reexportação do milho. "Vai depender do nível de transgenia detectado pelo exame", afirmou.

Edilson Santos, presidente da Avipe (que reúne avicultores do Pernambuco), porém, espera que o termo de ajustamento de conduta saia ainda hoje. O milho modificado geneticamente foi importado da Argentina por 11 avicultores de Pernambuco com a autorização da 2ª Vara da Justiça Federal no Estado, sob a alegação de risco de desabastecimento.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink