Milho safrinha: 50% já foi colhido

Agronegócio

Milho safrinha: 50% já foi colhido

De acordo com a Seab a média de perdas estão na casa de 15%
Por:
440 acessos
Fonte: Viviane Nonato / Gazeta do Paraná

O tempo colaborou deixando o final de semana sem chuva e com sol na região Oeste do Paraná, o que gerou grande avanço na colheita do milho safrinha. De acordo com a economista do Deral (Departamento de Economia Rural), da Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento) de Cascavel, Jovir Esser, cerca de 50% da safra foi colhida.

Segundo ela, a maior parte da colheita foi efetuada no sábado (18) e domingo (19) e a produtividade foi sim afetada pelo excesso de chuva. “Na área que já foi colhida com a média de perdas que estamos encontrando na produção estão na casa de 15%”, diz.

Conforme Jovir a umidade da presente na planta tem sido grande. Os números oficiais com todo o levantamento da área plantada deve ser divulgado pela Seab/Curitiba apenas no final da próxima semana.

Na regional de Toledo, a estimativa é que cerca de 25% da safra tenha sido colhida e a produtividade não está, segundo os técnicos mantendo uma média. Em alguns locais os produtores alcançaram a produtividade de 350 sacas por alqueire enquanto em outros, não chegou a 100.

Também da regional de Toledo, os números oficial somente serão divulgados na próxima semana.

Safra

Levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre a produção agrícola no Brasil confirmou o aumento de 11% na área para a cultura do trigo no Paraná, que se destaca como o maior produtor do grão. Para a safra de grãos 2008/09, que está encerrando, a previsão de produção é de 25,06 milhões de toneladas que corresponde a uma participação de 18,8% da produção nacional.

A safra total de grãos foi reavaliada e a queda em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram colhidas 30,51 milhões de toneladas, é de 16%. A seca prejudicou a primeira e a segunda safra de grãos cultivadas no Estado. A falta de chuvas também prejudicou o desempenho da safra nacional que apresenta uma queda de 8,7%. Segundo o IBGE, na safra anterior a produção obtida foi de 146 milhões de toneladas e na safra 08/09 a produção deverá atingir 133,3 milhões de toneladas em todo o País.

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Valter Bianchini, apesar da queda na produção de grãos em função da seca que prejudicou a safra de verão e a safrinha, a expectativa de bons preços na comercialização da soja e continuidade do crescimento na diversificação com a pecuária devem resultar em redução menor no Valor Bruto da Produção que é o faturamento bruto obtido pelos produtores.

O levantamento do IBGE referente ao mês de junho reavaliou a segunda safra de feijão e milho, que já refletem as quedas provocadas pelas geadas que aconteceram no início de junho.

Paraná

Mesmo com o período de seca, seguido de geada, a segunda safra de feijão no Paraná deverá ser 3,8% maior em relação ao mesmo período do ano passado. O volume colhido aumenta de 336.787 toneladas na safra 2007/08 para 349.686 toneladas na safra 2008/09.

Mas, considerando as três safras de feijão, a produção paranaense do grão deverá atingir um total de 731.962 toneladas, uma queda de 5,1% em relação à safra total obtida no ano passado que atingiu um volume de 771.291 toneladas.

A safra total de milho, considerando as duas safras deverá atingir um volume de 11 milhões de toneladas, uma queda de 29,4% em relação ao volume colhido no ano passado que foi de 15,6 milhões de toneladas. Também com o milho, as lavouras foram prejudicadas pela falta de chuvas na safra principal e na safrinha.

Na segunda safra de milho a queda na produção foi de 23%, onde o volume caiu de 5,95 milhões de toneladas colhidas na safra 07/08 para 4,58 milhões de toneladas que devem ser colhidas este ano. A expectativa é que não ocorram mais perdas com o milho, porque a cultura iniciou a fase de colheita e à medida que as plantas vão amadurecendo, elas vão saindo do risco de geadas que ainda podem acontecer no Estado, disse o engenheiro agrônomo do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, Otmar Hubner.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink