Minas Gerais realiza teste carrapaticida gratuito
CI
Imagem: Pixabay
CONTROLE

Minas Gerais realiza teste carrapaticida gratuito

Interessados devem coletar amostras que serão analisadas no laboratório da EPAMIG
Por:

A lista de danos causados por carrapatos comuns dos bovinos (Rhipicephalus microplus) é grande. Entre os prejuízos estão a diminuição da produção leiteira, do ganho de peso e da fertilidade dos animais; aumento dos gastos com a prevenção e com o tratamento de doenças; e a perda de animais e a desvalorização do couro, que embora não seja remunerado pela qualidade, prejudica as indústrias e aumenta o preço do produto final. Além disso, outros prejuízos são acrescidos à lista, como aumento nos gastos com mão-de-obra, equipamentos, serviços e produtos específicos para o controle dos carrapatos. 

Segundo o pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMG), Daniel Rodrigues, falhas na utilização de produtos e métodos de controle são os principais fatores responsáveis por acelerar o desenvolvimento de resistência aos produtos carrapaticidas. 

“A situação atual é preocupante, pois os institutos de pesquisa e as indústrias não desenvolvem novos princípios ativos na mesma velocidade em que os carrapatos adquirem resistência. Esse processo é lento. A falta de perspectiva de desenvolvimento de novos princípios ativos em curto prazo é um fato e indica que os produtores terão que trabalhar com os grupos disponíveis no mercado ainda por um bom tempo”, enfatiza Daniel.

Mas, embora difícil, o controle eficiente de carrapatos é uma tarefa possível de ser realizada. Nesse sentido, a realização do biocarrapaticidograma, ou “teste carrapaticida”, tem se tornado cada vez mais necessária. Ainda segundo Daniel Rodrigues, os testes devem ser realizados anualmente com o objetivo de monitorar a situação dos rebanhos e permitir a adoção de medidas preventivas. Além disso, o pesquisador destaca que é fundamental aos produtores procurar orientação técnica especializada e seguir com critério as recomendações feitas pelos médicos veterinários.

“Os testes devem ser realizados antes que se esgotem as opções de tratamentos químicos disponíveis. Simultaneamente, alternativas de controle, como a seleção de animais resistentes e o descanso de pastagens, devem ser consideradas e avaliadas de acordo com a realidade e os objetivos de cada propriedade”, conclui.

Laboratório de parasitologia da EPAMIG

A EPAMIG realiza uma série de pesquisas sobre controle de carrapatos e verminoses de bovinos. Para dar suporte aos trabalhos de pesquisa, a empresa possui um laboratório de parasitologia veterinária no Campo Experimental Santa Rita, localizado no município de Prudente de Morais (MG).

A boa notícia é que alguns serviços do laboratório da EPAMIG estão disponíveis de forma gratuita para produtores e pecuaristas, entre eles, o teste carrapaticida. O objetivo do teste é determinar a eficácia de produtos comerciais contra os carrapatos de uma propriedade específica, uma vez que não há garantias de que um produto que funciona em uma população vai funcionar em outra.

O produtor interessado no teste deve coletar de 150 a 250 fêmeas ingurgitadas, grandes, gordas e completamente cheias, conhecidas como “mamonas” ou “jabuticabas”. Esses carrapatos devem ser coletados de preferência no início da manhã, colocados em caixa de papelão limpa e seca, e levados para o laboratório em um prazo de 24 horas. 

A caixa não pode ser de um produto carrapaticida ou inseticida. Além disso, é necessário vedar as bordas da caixa com uma fita adesiva, para evitar que os carrapatos fujam, e fazer alguns furos com agulha em um dos lados da caixa, para permitir a entrada de ar.

“É fundamental que os bovinos de onde serão retirados os carrapatos não tenham tido contato com produtos carrapaticidas por pelo menos 30 dias, no caso de banho ou “pour on”; e 45 dias no caso de produtos injetáveis, como as ivermectinas. A prática de deixar dois ou três animais sem tratar, para coletar os carrapatos necessários, é interessante, uma vez que não precisam ser colhidos em todo o rebanho”, explica o pesquisador Daniel Sobreiras. 

Os testes carrapaticidas demandam tempo e trabalho de profissionais especializados. São necessários, aproximadamente, 40 dias para obter o resultado de um teste. Para mais informações, os interessados devem entrar em contato pelo telefone (31) 97102-1541. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.