Minas lança variedade de batata própria para fritura

Agronegócio

Minas lança variedade de batata própria para fritura

Com o lançamento da Opaline, Minas avança na agregação de valor a um importante produto de sua agricultura
Por:
648 acessos

A Opaline, uma batata própria para fritura, será lançada no final de agosto, em Minas Gerais, pelo Programa de Cooperação Técnica Brasil/França. Segundo a coordenadora do programa pela Secretaria de Estado de Agricultura , Luciana Rapini, “será mais um passo para a implantação de uma nova cultura em relação à batata, com indicações de composição e uso do produto na culinária”.

A coordenadora explica que, “até agora, predominou como referência, no comércio do tubérculo, o aspecto externo, a pele bonita, mas a parceria técnica com a França está possibilitando a mudança desse hábito”.

Com o lançamento da Opaline, Minas avança na agregação de valor a um importante produto de sua agricultura. O Estado lidera a produção de batata com uma safra estimada de 1,1 milhão de toneladas. Conforme dados divulgados pelo IBGE e analisados pela Superintendência de Política e Economia Agrícola da Secretaria da Agricultura, este volume equivale a cerca de 34% da produção brasileira de batata prevista para este ano.

Novas alternativas

A Opaline é a segunda variedade, resultante da parceria com os franceses, destinada a oferecer novas alternativas ao consumidor no segmento de batatas. No mês passado, o varejo e o atacado de Belo Horizonte testaram a batata Emeraude, própria para assar e cozinhar. “Essa variedade foi muito bem recebida e os consumidores estão voltando para adquirir o produto”, informa Luciana Rapini.

Os representantes de sacolões e também o expositor que comercializou a Emeraude no Mercado Livre do Produtor (MLP) na CeasaMinas, Milton Silvério Brandão, confirmam que, de uma forma geral, a aceitação dos consumidores foi boa. Segundo Brandão, quase 50% dos clientes retornaram para comprar a Emeraude.

O chefe da Seção de Agroqualidade da CeasaMinas, Joaquim Alvarenga, também acredita no sucesso da Emeraude. Ele explica que “os técnicos da CeasaMinas acompanharam de perto o trabalho de divulgação das batatas e constataram o interesse dos consumidores pela nova variedade. Tanto a Opaline quanto a Emeraude estão sendo cultivadas em Irai de Minas, no Alto Paranaíba, com objetivo de consolidar o mercado segmentado”.

Incentivo à cadeia

Uma das próximas ações do comitê do Programa de Cooperação Técnica Brasil/França para incentivar a cadeia de batata no Estado será a realização de reuniões com os produtores. O objetivo é mostrar as perspectivas da produção de batatas como a Opaline e a Emeraude, destinadas a mercados segmentados e oferecidas em pacotes próprios e identificados. Segundo as normas federais, a embalagem da batata deve conter informações do produtor e referentes à qualidade do produto.

A coordenadora Luciana Rapini diz que será oferecida aos chefs e donos de restaurantes e de sacolões a oportunidade de participar de programas de degustação e informação sobre o produto. Ela observa que esta é uma parte importante do trabalho de inserção das batatas francesas. “Além dessas ações está prevista a aproximação com supermercados e sacolões, para que adquiram confiança na segmentação do mercado”, destaca.

Em outra etapa do trabalho o comitê vai fazer contatos com o Movimento das Donas de Casa (MDC). Está prevista também a exposição de variedades tradicionais e francesas, segmentadas de acordo com o uso culinário, no estande do governo estadual na Superminas 2009. Essa feira será realizada em Belo Horizonte, no mês de outubro, pela Associação Mineira de Supermercados (Amis).

Atuação da Ceasa

Desde o início do Programa de Cooperação Técnica Brasil/França, em 1992, a Secretaria da Agricultura conta com a parceria da Ceasa/Minas na organização da comercialização das novas variedades de batatas francesas. Também por meio da parceria, coordenaram a realização de missões de técnicos e de bataticultores mineiros à França para conhecerem a segmentação do mercado naquele país. A Ceasa ainda promoveu visitas de entidades de produtores e técnicos franceses ao entreposto de Contagem e a cozinhas industriais, restaurantes, sacolões e supermercados de Belo Horizonte.

Outra etapa coordenada pela CeasaMinas foi a avaliação visual e sensorial de diferentes cultivares francesas de batatas destinadas à fritura, cozimento e salada. A Emeraude obteve nesses testes a melhor aceitação no quesito sabor na forma de cozimento.

Além da Secretaria da Agricultura de Minas – com suas vinculadas Epamig, IMA e Emater/MG – e a CeasaMinas, integram o comitê do Programa de Cooperação Técnica Brasil/França as seguintes instituições: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Multiplanta Tecnologia Vegetal, e Universidade Federal de Lavras (Ufla). O comitê conta também com a participação de entidades dos produtores rurais.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink