Ministério da Agricultura interrompe embarques de soja de Rio Grande
CI
Agronegócio

Ministério da Agricultura interrompe embarques de soja de Rio Grande

Por:

A crise provocada pela contaminação das cargas de soja por sementes tratadas com fungicida levou o Ministério da Agricultura a paralisar as exportações do produto pelo porto de Rio Grande. Ontem os fiscais recolheram amostras de mais 119 mil toneladas destinadas à China que deveriam ser embarcadas nos navios "Fortune Lady" e "Daria Preeth", atracados desde quinta-feira da semana passada nos terminais das empresas Termasa e Tergrasa.

Segundo o delegado federal da Agricultura, Francisco Signor, os certificados fitossanitários necessários à entrada na China não serão emitidos até que o laboratório Bioensaio, em Viamão (região metropolitana de Porto Alegre), conclua as análises. O prazo previsto é de uma semana a contar da entrada dos lotes. Nos próximos dias outras seis embarcações deverão atracar para carregar 320 mil toneladas de soja, conforme informou o porto.

Signor confirmou a presença de sementes nas cargas programadas para o "Fortune Lady" e o "Daria Preeth", mas disse que só o exame laboratorial permitirá saber se elas estão contaminadas por fungicida. Ele pretende reunir-se com as empresas exportadoras na sexta-feira, em Rio Grande, para buscar uma solução para o problema. Procuradas pelo Valor, diretores da Termasa e da Tergrasa não comentaram o assunto.

Conforme Signor, os exportadores precisam se "conscientizar" de que "misturar veneno com comida" é uma irregularidade passível de ser tratada com base no "código penal". E lembrou que o ministério intensificou a fiscalização em Rio Grande.

Na semana passada, o "Bunga Saga 10", com 59 mil toneladas de soja para a China, zarpou do terminal da Bianchini sem o certificado fitossanitário do ministério e está retornando ao porto. Até ontem, porém, não havia previsão de sua chegada. Em abril, carga da Bianchini, Irmãos Trevisan, Cargill e Noble Grain também saiu de Rio Grande e foi barrada pela China.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink