Ministério pede prazo para se posicionar sobre maior frigorífico de peixes do mundo

Agronegócio

Ministério pede prazo para se posicionar sobre maior frigorífico de peixes do mundo

Reunião hoje, em Brasília, definiu que haverá resposta oficial em 40 dias
Por:
725 acessos

Reunião entre técnicos do Ministério da Agricultura, da Secretaria Especial de Pesca e Aquicultura, deputado estadual Eduardo Rocha (PMDB) e senadora Simone Tebet (PMDB) hoje resultou em prazo de 40 dias para novo posicionamento sobre licenciamento de instalação de frigorífico de tilápia em Selvíria.

O empreendimento, quando for instalado, será o maior do mundo na área. Licença prévia autorizou a instalação de 821 tanques no Rio Paraná. A expectativa é que a Tilabrás Aquacultura Ltda produza 100 mil toneladas de peixe por ano, com faturamento previsto de R$ 1 bilhão/ano, depois de investimento de R$ 150 milhões na criação e produção do pescado. A geração de emprego diretos é indicada como de 800 vagas.

O Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) autorizou, há um ano, a instalação dos tanques. Agora, para a construção do frigorífico, é preciso autorização do Ministério da Agricultura.

O deputado e a senadora, que tem como base a região do Bolsão, onde está localizado Selvíria, foram ouvir dos técnicos da pasta em que estágio está a tramitação da licença e tentar resolver pendências burocráticas.

O retorno dado, ao fim do encontro, é que serão precisos mais 40 dias (meados de dezembro) para que o Ministério da Agricultura divulgue posicionamento oficial desse licenciamento.

A assessoria do deputado Eduardo Rocha divulgou que o parlamentar está otimista e com expectativa positiva depois dessa reunião.

A Tilabrás foi criada a partir da parceria de uma empresa brasileira (Axial Holding) com outra norte-americana (Regal Springs) e tinha aprovação do governo federal e do extinto Ministério da Aquicultura e Pesca, ainda no mandato da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

A planta que se pretende montar em Selvíria é para produção de farinha de óleo de peixe, ração e o próprio pescado para consumo. O mercado que a empresa busca é Brasil, Estados Unidos, Europa, Japão, Mercosul e China.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink