Ministério recria Comissão voltada à sustentabilidade do agronegócio

Agronegócio

Ministério recria Comissão voltada à sustentabilidade do agronegócio

CDSA prevê parcerias com a iniciativa privada para fortalecer processos de inovação e buscar recursos
Por:
870 acessos

CDSA prevê parcerias com a iniciativa privada para fortalecer processos de inovação e buscar recursos

Para propor a inovação nas políticas públicas voltadas à sustentabilidade no campo e dar visibilidade a projetos de sucesso nesse segmento, foi reformada a Comissão de Desenvolvimento Sustentável do Agronegócio (CDSA) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A portaria publicada na edição desta segunda-feira (5), do Diário Oficial da União, detalha as atribuições da CDSA. 

Segundo o assessor especial do Mapa para meio ambiente e sustentabilidade, João Campari, “O Brasil tem avançado a passos largos na sua política ambiental, mas ainda precisa encontrar recursos que a viabilizem em nível das propriedades rurais. As ONGs ambientalistas mais arrojadas vêm formando alianças importantes com produtores rurais, empresas e com o setor financeiro para buscar soluções inovadoras nesse sentido." Segundo ele, a CDSA se propõe a aprender com esses esforços e a trabalhar para transformar modelos viáveis em política pública agro-ambiental que financie e remunere o produtor rural brasileiro pelos serviços ambientais prestados por propriedades rurais bem manejadas.

A comissão irá também acompanhar todas as demandas que chegam ao Mapa relacionadas aos temas de meio ambiente e sustentabilidade da atividade agropecuária, analisando, recomendando encaminhamentos e ajudando os parlamentares na tomada de decisão.

A CDSA estará subordinada diretamente à Secretaria Executiva do Mapa (coordenadora da CDSA) e contará com a participação da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).  Além de outros órgaos do Mapa, a CDSA buscará parcerias com outros ministérios, setor privado e ONGs.

Confira aqui o normativo.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink