Ministros do Mercosul reafirmam presença da agricultura na Alca
CI
Agronegócio

Ministros do Mercosul reafirmam presença da agricultura na Alca

Por:

Os ministros de Agricultura do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai) mais Chile e Bolívia vão pedir aos seus respectivos governos que insistam na inclusão de temas agropecuários nas negociações para criação da Área de Livre Comércio das Américas (Alca). A recomendação foi aprovada no sábado (31/05), no encerramento da primeira reunião do Conselho Agropecuário do Sul (CAS), realizada no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em Brasília.

“Os Estados Unidos querem levar a discussão de temas que eles consideram sensíveis para a OMC (Organização Mundial do Comércio). No entanto, os países do Mercosul defendem que esses assuntos sejam tratados nas negociações para criação da Alca”, disse o ministro brasileiro, Roberto Rodrigues. “Temos que buscar a simetria no debate sobre a Alca”, enfatizou ele, com a concordância de seus colegas do bloco econômico.

Os ministros Roberto Rodrigues, Gonzalo González (Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai), Dario Baumgarten (Agricultura e Pecuária do Paraguai) e Jaime Campos (Agricultura do Chile), o vice-ministro de Assuntos Agrários, Indígenas e Agropecuários da Bolívia, Ronald Nieme, e o secretário de Estado de Agricultura, Pesca e Alimentação da Argentina, Miguel Santiago Campos, também decidiram sugerir aos seus governos que estimulem o desenvolvimento do cooperativismo no Mercosul.

Durante a reunião, eles reconheceram que os países do bloco devem trabalhar em conjunto para se tornarem mais competitivos, com investimentos em programas fitozoossanitários, e conquistarem maior acesso ao mercado internacional. Também condenaram as manifestações violentas contra o progresso da ciência e tecnologia agropecuária. Os ministros expressaram ainda preocupação com o não-cumprimento dos prazos estabelecidos pela Organização Mundial do Comércio (OMC), em Doha, para as negociações sobre o comércio agrícola.

No encontro, o CAS aprovou a criação de três grupos de apoio: o Comitê Veterinário Permanente (CVP), o Grupo Informal de Negociadores Agrícolas Internacionais (Gina-Sul) e a Rede de Coordenação de Políticas Agropecuárias. De acordo com o presidente do CAS, Gonzalo Gonzáles, o primeiro coordenará ações comuns na área de sanidade animal, voltadas à erradicação da febre aftosa e à manutenção da região como área livre da doença da vaca louca. O segundo tratará de sugerir posições comuns do bloco para as negociações internacionais. E o terceiro discutirá a uniformização das normas e padrões agropecuários entre os seus países.

O CAS também decidiu incorporar o Comitê de Sanidade Vegetal do Mercosul (Cosave) e o Programa Cooperativo para Desenvolvimento Tecnológico Agropecuário do Cone Sul (Procisur).


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.