Missão de MT busca liberação de carne na Europa

Agronegócio

Missão de MT busca liberação de carne na Europa

A comitiva oficial partiu no sábado para a segunda viagem internacional deste ano, com agenda de trabalho a cumprir em vários países da Europa
Por:
165 acessos

Os resultados satisfatórios obtidos na defesa sanitária animal em Mato Grosso, que ao longo de quase doze anos não registra nenhum foco de aftosa no rebanho bovino do Estado, e os crescentes índices vacinais junto às ações contínuas promovidas pelo governo do Estado e iniciativa privada para garantir o controle permanente da sanidade do gado mato-grossense serão alguns dos subsídios que o governador Blairo Maggi apresentará junto à Organização Internacional de Epizootias (OIE) para buscar a habilitação de 100% da carne bovina “in natura” destinada à exportação para a União Européia.

A comtiva oficial partiu no sábado (06-10) para a segunda viagem internacional deste ano, com agenda de trabalho a cumprir em vários países da Europa – França, Alemanha, Bélgica, Holanda - e na Rússia, acompanhado dos secretários de Estado Terezinha Maggi – Trabalho, Emprego, Cidadania e Assistência Social; e Clóves Vetoratto, de Projetos Estratégicos e de representantes de entidades do setor agropecuário.

Entre os compromissos a cumprir Maggi quer intensificar as relações comerciais com esses países, como a Rússia, um dos principais importadores de produtos mato-grossenses, em especial as carnes bovina e suína; e o mercado da produção de biodiesel no Estado e no mundo.

Outro ponto a ser também abordado pelo governador e comitiva é a questão ambiental, ressaltando as recentes ações promovidas pelo Governo do Estado e parceiros, como o Pacto Nacional Pela Valorização da Floresta e pelo fim do desmatamento na Amazônia. Na França e Holanda, Maggi irá discutir a questão ambiental com organizações não-governamentais.

“Mato Grosso é signatário deste pacto tanto pela necessidade de atender as questões ambientais quanto pelas condições que terá para ‘prestar este serviço à sociedade mato-grossense, brasileira e mundial’, conforme definiu o governador. “As condições estão sendo trabalhadas de modo que aqueles que vão preservar a floresta sejam ressarcidos por isto”, afirmou Maggi.

Status livre de aftosa:

Mesmo com os números satisfatórios que demonstram a organização da política sanitária animal, Mato Grosso tem apenas 48% do rebanho bovino – o que corresponde a 51% dos municípios – credenciado para o comércio internacional quando o destino é a Europa. As regiões do Pantanal e Norte do Estado estão fora da área habilitada.

Na Bélgica, o governador quer mostrar aos membros da OIE o conjunto de ações e os resultados alcançados, que permitiram ao Estado adquirir excelente status sanitário com quase doze anos sem registro de doenças vesiculares, a condição de livre de aftosa com vacinação desde 1999 - com monitoramento sorológico para demonstração da não atividade viral - e ainda, classificação de risco mínimo para febre aftosa, conforme critérios definidos pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa).

“Queremos mostrar esses resultados e discutir com a OIE a zona não-habilitada de Mato Grosso, pois a região Norte, por exemplo, servia de proteção ao Pará, que tinha registros de aftosa. E agora o Pará está habilitado e nós ainda temos essa zona sem liberação. Estamos há quase doze anos sem foco da doença, o Instituto de Defesa Sanitária está organizado e equipado e pronto para continuar a política de defesa sanitária”, frisou o governador.

As áreas, habilitada e não habilitada, possuem suas propriedades rurais cadastradas, a mesma classificação de risco, condições sanitárias iguais, e cumprem os mesmos procedimentos sanitários no que se refere ao controle do trânsito, vigilância epidemiológica. As vacinações contra febre aftosa atendem ao mesmo calendário oficial de vacinação contra febre aftosa do estado, com os mesmos índices de vacinação. Mato Grosso possui um rebanho bovino e bubalino de mais de 26 milhões de cabeças. A maior parte da carne exportada é ‘in natura’.

Na Alemanha, Maggi participa da Feira Internacional de Anuga, na cidade de Colônia acompanhando o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes e o embaixador do Brasil na Alemanha, Luiz Felipe Seixas Corrêa. No evento também será inaugurado o pavilhão brasileiro e lançamento do Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes. Na cidade, Maggi se reúne ainda com o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), Marcus Vinicius Pratini de Moraes e com o vice-ministro da Agricultura da Alemanha, Gerd Müller.

Durante a viagem, a comitiva liderada pelo governador divulgará as ações nos países visitados com os materiais elaborados pela Secretaria de Estado de Comunicação Social. No material impresso em três línguas - português, inglês e francês, os programas sociais e as ações nas áreas de Meio Ambiente, Turismo, Cultura e Economia. As informações são da assessoria de imprensa da Famato.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink