Mistura ao diesel passa para 3%

Agronegócio

Mistura ao diesel passa para 3%

Desde o início do ano, é obrigatório que todo o diesel vendido no país tenha 2% de biodiesel
Por:
229 acessos

O governo federal, por meio do Comitê Nacional de Política Energética (CNPE), aumentou de 2% para 3% a quantidade de biodiesel que deve ser adicionada ao diesel vendido nos postos de combustíveis. A determinação vigora desde 1º de julho.

Desde o início do ano, é obrigatório que todo o diesel vendido no país tenha 2% de biodiesel - combustível produzido a partir de oleaginosas como soja, mamona, palma e girassol.

"Na medida em que antecipamos a mistura, estamos contribuindo para a saúde do meio ambiente. Estamos deixando de importar petróleo e, com isso, deixaremos de pagar um preço elevado, substituindo essa importação pelo biodiesel", declarou o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão.

A modificação gerará uma demanda adicional de 420 milhões de litros, aumentando o consumo de biodiesel para 1,26 bilhão de litros. De acordo com o ministro, apesar de alguns especialistas alertarem que a produção de oleaginosas não seria suficiente no país, não houve problemas com a implantação do programa e não haverá com o aumento da demanda.

Segundo resolução anterior do CNPE, a mistura de biodiesel no óleo diesel deve chegar a 5% em 2013. Segundo Lobão, a idéia, porém, é antecipar a meta para 2010, em escalas. Ele informou que estão sendo feitos estudos para implantar o B4, ou seja, aumentar a quantidade de biodiesel para 4%. A mistura de 3% de biodiesel de petróleo é chamada de B3 e assim sucessivamente, até o biodiesel puro, denominado B-100.

PROCESSOS - Importante para o Estado porque agrega valor aos principais produtos da região, gerando emprego e renda para a população, o biodiesel é um combustível biodegradável derivado de fontes renováveis, que pode ser obtido por diferentes processos, tais como o craqueamento, a esterificação ou transesterificação.

Pode ser produzido a partir de gorduras animais ou de óleos vegetais, existindo dezenas de espécies vegetais no Brasil que podem ser utilizadas, tais como mamona, dendê, girassol, babaçu, amendoim, pinhão manso, soja e outros.

O biodiesel substitui total ou parcialmente o óleo diesel de petróleo em motores ciclodiesel automotivos (de caminhões, tratores, camionetas, automóveis, etc.), ou estacionários (geradores de eletricidade, calor, etc.). Pode ser usado puro ou misturado ao diesel em diversas proporções.

GANHOS - Feito à base de mamona, soja, dendê, girassol, pinhão e outras oleaginosas, o novo combustível deverá trazer ganhos sociais, econômicos e ambientais ao país, ao privilegiar a participação da agricultura familiar, gerando emprego e renda no campo, permitindo a redução das importações de diesel de petróleo e melhorando a qualidade do ar nos centros urbanos. Os especialistas acreditam que Mato Grosso poderá não só alcançar a sua auto-suficiência, como se transformar em um grande exportador de biodiesel nos próximos anos.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink