Monsanto inicia vendas do YieldGard VT PRO no Brasil
CI
Agronegócio

Monsanto inicia vendas do YieldGard VT PRO no Brasil

Na primeira semana de negócios, foram faturados 5.600 sacos do híbrido DKB 390 PRO
Por: -Janice
Na primeira semana de negócios, foram faturados 5.600 sacos do híbrido DKB 390 PRO

A Monsanto começou as vendas do milho YieldGard VT PRO no Brasil, a segunda geração de biotecnologia para a cultura, desenvolvida para o controle de pragas. Na primeira semana de negócios, foram faturados 5.600 sacos do híbrido DKB 390 PRO. O primeiro pedido foi registrado em 21 de setembro pelo distribuidor Hara Agro, de Faxinal (PR).
O milho YieldGard VT PRO é um avanço em relação a controle de pragas, quando comparado às tecnologias lançadas anteriormente. Por ser a única tecnologia que possui duas proteínas de Bt (Bacillus thuringiensis) com modos de ação efetivos, o YieldGard VT PRO garante um controle superior das principais pragas da cultura do milho (lagarta-do-cartucho, lagarta-da-espiga e a broca-do-colmo), assegurando proteção do potencial produtivo e, consequentemente, aumento da produtividade.

“O milho YieldGard VT PRO é um avanço tecnológico, além de ser mais uma ferramenta para o Manejo Integrado de Pragas e uma opção eficaz e prolongada de Manejo de Resistência de Insetos na cultura”, afirma Sandro Rissi, gerente de marketing de milho e sorgo da Monsanto do Brasil. Além disso, o YieldGard VT PRO é a única tecnologia que permite a redução da área de refúgio de 10% para 5% da área plantada com milho convencional.

O Bacillus thuringiensis (Bt) é uma bactéria encontrada naturalmente no solo e que, por sua ação inseticida contra lagartas, é utilizada na agricultura orgânica há décadas. Quando as lagartas se alimentam das folhas da planta de milho YieldGard VT PRO, acabam ingerindo a proteína que atua diretamente nas células epiteliais de seus tubos digestivos. A proteína, portanto, confere uma proteção à planta antes mesmo que os insetos consigam lhe causar danos. Com a produção de duas proteínas que se ligam a receptores diferentes no organismo do inseto, a tecnologia YieldGard VT PRO possui dois modos de ação para controle dessas pragas. Essa tecnologia já está disponível na Austrália, na Nova Zelândia, no Japão, na Coreia do Sul, no México, nas Filipinas, em Taiwan, nos Estados Unidos e no Canadá.

Vantagens socioambientais e econômicas

O milho YieldGard VT PRO oferece benefícios para os agricultores e também para a saúde humana e animal. Isso porque sua adoção, por sua resistência às pragas, reduz os níveis de micotoxinas no produto, quando comparado à versão convencional. Micotoxinas são substâncias cancerígenas produzidas por fungos que podem se desenvolver nos grãos após as plantas serem danificadas pelas pragas, afetando de forma significativa a qualidade do grão.

“Por permitir menor aplicação de inseticidas, o milho YieldGard VT PRO pode auxiliar na preservação do meio ambiente e reduzir os gastos com o controle fitossanitário da cultura, o que, também, contribui para a diminuição de riscos de intoxicação de agricultores e trabalhadores rurais. A redução de custo da produção se reflete ainda no menor uso de maquinário, mão-de-obra e inseticidas”, observa Rissi, da Monsanto.

O uso de um menor número de defensivos significa menor número de embalagens descartadas, menor consumo de água, de maquinário e, consequentemente, menor queima de combustível fóssil. A redução do uso de químicos nas lavouras de YieldGard VT PRO reduz os custos de produção, permite o aumento da rentabilidade, e, aliado ao uso de produtos menos tóxicos, possibilita a diminuição dos níveis de intoxicação dos trabalhadores na agricultura, favorecendo, principalmente, os pequenos produtores.

O estudo seqüencial “Impacto Global das Lavouras Geneticamente Modificadas 1996-2008” (2010), de autoria dos economistas Graham Brookes e Peter Barfoot, da consultoria inglesa PG Economics, um dos primeiros levantamentos quantitativos sobre o impacto da biotecnologia de 1996 a 2008, apontou que o milho resistente a insetos-pragas (Bt) foi responsável pela redução de 29,9 milhões de quilos de defensivos agrícolas no campo. Além disso, foi responsável por aumentar a renda dos produtores em US$ 2,65 bilhões só em 2008.

As informações são da assessoria de imprensa da Monsanto.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink