MS: produtores atingidos por seca devem enviar relato para Aprosoja
CI
Imagem: Marcel Oliveira
PREJUÍZOS

MS: produtores atingidos por seca devem enviar relato para Aprosoja

Ministra da Agricultura se dispôs a avaliar caso a caso dos agricultores prejudicados
Por: -Eliza Maliszewski

Em visita ao Mato Grosso do Sul, no município de Naviraí, a Ministra da Agricultura Tereza Cristina, se dispôs a avaliar caso a caso dos agricultores prejudicados com a estiagem, que impactou o desenvolvimento das lavouras de soja. Os agricultores deverão encaminhar seus relatos de dificuldades financeiras para a Aprosoja/MS – Associação dos Produtores de Soja e Milho (coordtecnico@aprosojams.org.br), que encaminhará com urgência ao Mapa, para avaliação, na busca por alternativas.

“O impacto não vai ser só na agricultura, será no comércio local, nos municípios que deixam de ter a circulação de recursos, na pecuária. Quando o campo vai bem, a cidade vai bem [...] precisamos que encaminhem todas as dificuldades, tem gente que é arrendatário, outros estão na terceira frustração, outros já estão no limite com o banco, é preciso entender o mais rapidamente possível, para que possamos discutir. Resolver tudo, não vamos resolver, acho muito difícil, mas acho que podemos tentar resolver a maior parte dessas coisas”, explicou a Ministra a um grupo de mais de 50 agricultores da região Sul de MS.

Segundo o presidente da Aprosoja/MS, André Dobashi, a Associação está dedicada desde o primeiro dia útil do ano no levantamento das perdas, ocasionadas pela estiagem. “Por meio do projeto SIGA, o Governo de MS, o Sistema Famasul e a Aprosoja/MS, tem percorrido o máximo possível de propriedades rurais, identificando os pontos críticos, que até o momento foram identificados ao Sul, Sul-fronteira, Sudeste e Sudoeste. A ministra vir, in loco, conferir a situação, demonstra sua vontade de amenizar os impactos, e vamos nos empenhar para que tenhamos notícias melhores, para isso pedimos o apoio dos agricultores impactados para que nos procurem, com os relatos de forma urgente, de modo a não impactar seus investimentos já na safrinha que iniciará em breve”, destaca Dobashi.

O Secretário da Semagro, Jaime Verruck, apontou para a necessidade de se debater a entrega física da soja, para contratos particulares, firmados com antecedência. “Temos que olhar muito o produtor na estrutura de fundo de caixa. Vamos sentar com as cooperativas, e verificar questões sobre o problema da não entrega fixa, muitas cooperativas a gente sabe que tem atitude correta, mas boa parte do estado não vem fazendo isso, então precisamos também fazer uma discussão. Não há por que aplicar uma multa, porque o produtor não vai ter como pagar. Sabemos que tem uma relação contratual privada, mas vamos trazer o Ministério para fazer algum tipo de discussão [...] nesse primeiro momento temos que trazer um esforço, uma investigação, de ações de curto prazo para resolver aqueles que estão com problemas”, relata.

Antes da reunião, que ocorreu na sede da Copasul, a ministra, acompanhada do presidente do Sistema Famasul, Marcelo Bertoni, do secretário de Política Agrícola do Mapa, Guilherme Bastos; do subsecretário de Política Agrícola do Ministério da Economia, Rogério Boueri; do chefe do Departamento de Crédito Rural e Proagro do Banco Central, Cláudio Filgueiras; e do diretor de Agronegócio do Banco do Brasil, Antônio Carlos Wagner Chiarello, sobrevoou e percorreu via terrestre, lavouras de Ponta Porã e Naviraí.

* Com informações da Aprosoja/MS


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.