MS contabiliza prejuízos provocados pelas geadas

Agronegócio

MS contabiliza prejuízos provocados pelas geadas

Geada pode ter prejudicado aproximadamente 45 mil ha plantados com milho safrinha
Por:
1110 acessos
Diário MS - Geada pode ter prejudicado aproximadamente 45 mil hectares plantados com milho safrinha em Mato Grosso do Sul, de acordo com levantamento preliminar feito pela Fundação MS. A área fica no centro-sul do Estado, que foi o mais atingido pelo fenômeno climático.


O número é aproximado e o prejuízo pode ser ainda maior, porque praticamente a metade dos 950 mil hectares cultivados com milho no Estado está sob risco. Isto porque foi plantada fora do prazo estipulado pelo zoneamento agrícola, que era 20 de março.

É justamente nestas áreas mais vulneráveis em que já existem registros de perdas. “Ainda é cedo para estimar com certeza. O que a gente percebe é que nas lavouras que estão dentro do prazo, os prejuízos não foram tão significativos. Mas, entre as tardias existem lavouras que perderam até 30% do potencial produtivo”, afirmou Roney Pedroso, pesquisador da Fundação MS.

O impacto foi causado pelos dois dias seguidos de geadas, terça-feira e segunda-feira. “Os prejuízos deverão ser grandes porque geou em lugares que geralmente não sofrem com a geada”, afirmou Lucas Galvan, assessor técnico da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul).


O assessor acredita que ainda é cedo para a federação falar em porcentagens, mas confirma que já existem registros de perdas e que as conseqüências das geadas devem ser bem negativas. “Temos que aguardar até sexta ou segunda-feira, para a planta mostrar com mais clareza aos técnicos, o que afetou”, afirma Galvan.

Pasto

A preocupação também se estende à pecuária, já que a geada atingiu os pastos do Estado, que já vinham de um período de estiagem. A seca é o que geralmente mais preocupa os pecuaristas neste período do ano.

“Este ano choveu mais, então o solo está mais úmido e o pasto mais verde. Só que onde a geada é mais intensa, o suficiente para queimar o pasto, acaba o alimento”, afirma Alexandre Ageiova, pesquisador de Sistemas Integrados da Embrapa.

O pesquisador explica que nos períodos de seca, é comum o gado se alimentar de proteinado. É o que dá energia o suficiente para ele converter a pouca forragem que come. Quando atingido pela geada, o pasto morre, e se ele falta, o gado não tem sua alimentação garantida.

A esperança dos pecuaristas é de que venham as chuvas previstas para os próximos dias, com precipitação suficiente para que haja o rebrote da pastagem. Para o milho, uma chuvarada poderia ajudar a compensar as perdas, já que é possível que ela colabore no desenvolvimento dos grãos que não foram atingidos pelas geadas.


Chuva

Uma nova frente fria chega a Mato Grosso do Sul e deve trazer chuva a partir desta quarta-feira, seguindo até sábado. Mas, as temperaturas devem ficar mais amenas, com mínimas entre 8º C e 10º C e a máxima não deve passar de 22º C. No domingo, o céu fica nublado e o sol deve aparecer.
A previsão é da meteorologista Cátia Braga, do Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima). “No domingo as temperaturas caem novamente, as máximas devem ser inferiores a 15º C e as míninas devem ficar entre 1º C e 0 ºC”, afirmou.

O frio deve permanecer na semana que vem e, de acordo com a meteorologista, há um novo indicativo de geada a partir de domingo. “Por enquanto é isso, mas pode ser que esse frio se adiante, como foi o dessa semana, que veio antes do esperado”, afirmou Cátia.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink