MS deve ter R$ 20 milhões para as ações antiaftosa

Agronegócio

MS deve ter R$ 20 milhões para as ações antiaftosa

O montante representará mais que o dobro na comparação com 2006
Por: -Marco Antônio Gehlen
2 acessos

A Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso do Sul (SFA/MS) revelou ontem (16-01) que espera um aporte de recurso da ordem de R$ 20 milhões para ações de defesa sanitária no Estado em 2007.

Caso o volume de recursos a ser destinado a MS, neste ano, atenda às expectativas do superintendente Orlando Baez, o montante representará mais que o dobro na comparação com o repasse realizado no ano passado para a mesma finalidade. Segundo informações de representantes de entidades sanitárias de MS, o Ministério da Agricultura destinou cerca de R$ 9 milhões ao Estado, em 2006, para os trabalhos sanitários preventivos.

Neste ano, o orçamento do Mapa para defesa sanitária em todo o País é de R$ 193 milhões, que deverão ser divididos entre os 26 Estados brasileiros, além do Distrito Federal. Baez acredita que a representatividade de Mato Grosso do Sul no cenário agropecuário nacional, principalmente, no que se refere à atividade pecuária, favoreça o Estado no momento da divisão dos recursos.

"Acredito que tenhamos R$ 20 milhões para defesa sanitária neste ano, uma vez que o Estado é prioritário para o Ministério da Agricultura e nós (entidades sanitárias de MS) teremos que realizar fortes ações no Estado", frisou o superintendente.

Os focos de aftosa registrados no Estado em outubro de 2005, que castigaram parcela significativa da pecuária nacional, com sérios prejuízos à cadeia produtiva da carne bovina e suína, além de reflexos negativos também à pecuária leiteira de MS, devem ser fator decisivo para a ampliação dos recursos destinados à sanidade animal no Estado. Hoje, Mato Grosso do Sul necessita de atenção especial na questão de prevenção sanitária, em virtude dos 700 quilômetros de fronteira seca existentes entre o território do Estado e o país vizinho Paraguai, uma vez que o custo para prevenção e controle do rebanho bovino dessa região é mais elevado.

Status sanitário:

Ontem, a secretária de Desenvolvimento Agrário, da Produção e do Turismo (Seprotur), Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias, informou que as ações para recuperação do status sanitário do Estado – perdido com a confirmação de focos de febre aftosa – foram pré-definidas na segunda-feira, em São Paulo, durante reunião com o presidente do Conselho Extraordinário de Relações Nacionais e Internacionais para o Desenvolvimento Econômico do Estado (Conex), Marcus Vinicius Pratini de Moraes. Os trabalhos devem ser iniciados ainda nesta semana.

Na manhã de ontem, a representante da Seprotur e o diretor-presidente da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), Roberto Bacha, definiram que será marcada, nos próximos dias, uma reunião entre produtores rurais da faixa de fronteira e autoridades sanitárias do Estado para debater a recuperação do status sanitário.

Entre as ações previstas para as próximas semanas, segundo Tereza Cristina, está a retomada do funcionamento dos escritórios da Iagro em período integral. Hoje, os escritórios do órgão sanitário ficam abertos até às 13h30min. "Esse é, sem dúvida, o primeiro gargalo a ser resolvido", ressaltou a secretária de Produção. A estimativa, a partir de agora, é que o Governo divulgue as ações para reconquista do status de livre de febre aftosa com vacinação durante a próxima reunião do Conex – pré-agendada para o dia 2 de fevereiro, em Campo Grande – que reunirá os integrantes do conselho e o governador do Estado.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink