MS fará vacinação estratégica do gado no próximo mês

Agronegócio

MS fará vacinação estratégica do gado no próximo mês

Os produtores se preparam para uma verdadeira operação de guerra
Por: -Rosana Siqueira
11 acessos

Após 16 meses convivendo com a sombra da febre aftosa, que dizimou 33 mil bovinos no Mato Grosso do Sul e fechou as portas dos principais mercados internacionais para a carne sul-mato-grossense, o Estado se prepara para uma verdadeira operação de guerra visando recuperar o status sanitário do rebanho.

Com a garantia de doação de 1 milhão de doses de vacinas antiaftosa pelo Ministério da Agricultura, a Secretaria de Produção (Seprotur), Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) e Superintendência Federal de Agricultura de MS (SFA/MS) reativaram ontem a etapa de vacinação do rebanho de fevereiro.

A retomada da etapa de imunização, que estava suspensa desde o ano passo é estratégica. Serão imunizados durante o próximo mês apenas os bezerros de 0 a 12 meses situados nas propriedades dos 14 municípios que fazem fronteira com a Bolívia e Paraguai.

As vacinas serão doadas para os produtores, e a imunização de cerca de 17 mil cabeças em assentamentos e aldeias indígenas será acompanhada pela Iagro. A medida, segundo a secretária de Produção Tereza Cristina Corrêa da Costa, visa recuperar a todo custo o status de área livre de febre aftosa com vacinação para Mato Grosso do Sul, mas sem penalizar os pecuaristas, que já amargam prejuízos diante do embargo à carne sul-mato-grossense.

Em reunião ontem com produtores e presidentes de sindicatos rurais de todos os municípios na Famasul, Tereza explicou que a decisão foi tomada em encontro com o presidente do Conselho Extraordinário de Relações Nacionais e Internacionais para o Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso do Sul, Pratini de Moraes, o ministro da Agricultura Luis Carlos Guedes e o governador do Estado, André Puccinelli.

"Trata-se de uma verdadeira operação de guerra, que vai contar com os esforços da Iagro, Superintendência Federal de Agricultura, produtores, Agraer, sindicatos rurais e até das polícias", frisou.

A secretária lembra que no próximo dia 30 está agendada uma reunião com técnicos da Organização Internacional de Epizootias (OIE), onde será apresentado o primeiro relatório sobre a visita dos técnicos europeus à àrea de risco sanitário em MS. "Vem aí um relatório duro da OIE (Organização Internacional de Epizootias), e precisamos mostrar que estão sendo feitas ações concretas".

A idéia do governo Federal, Governo do Estado e produtores é contrapor as previsíveis avaliações negativas do relatório, com a demonstração de ações eficazes de recuperação da sanidade.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink