MT: Leilões e incentivos do governo devem alavancar exportação de milho

Agronegócio

MT: Leilões e incentivos do governo devem alavancar exportação de milho

Produtores poderão participar diretamente de leilões para escoamento da produção da entressafra para equilibrar o valor do produto no mercado interno
Por:
326 acessos

A comercialização da entressafra do milho que apresentava dificuldades já conta com o incentivo do governo que vai pagar a diferença do preço mínimo por meio dos contratos de dedução. Esta ação tem como objetivo equilibrar venda e estoque da safra do milho. Foi o que informou a redação do ExpressoMT, Neri Gueller, vice-presidente da Aprosoja e suplente de Deputado Federal do PSDB.

Gueller diz que ainda há o problema de armazenagem gerado pelo aumento no volume de estocagem imposto pelo baixo custo na saca do milho. Em reunião realizada na última semana com o Coordenador-Geral de Cereais e Culturas Anuais, do Ministério da Agricultura, Sílvio Farnese, e com o presidente da CONAB, Wagner Gonçalves Rossi, Gueller diz que está sendo trabalhado um novo sistema de leilão de prêmio e comercialização.

“É importante que o produtor fique atento, pois o governo vai lançar até o dia 10 de maio leilões para o produtor em forma de prêmio para escoamento de produção, viabilizando a exportação do milho”, informa.

Segundo ele, no ano passado o preço do milho estava acima do preço mínimo e esta intervenção não foi necessária, mas este ano está abaixo do mínimo o que está inviabilizando o setor. Neri comenta que até o início de maio o produtor vai ter acesso ao benefício sem a interferência direta das indústrias.

Com este recurso o produtor pode participar do leilão. O objetivo é descentralizar o máximo possível para que cada agricultor de forma jurídica (CNPJ) ou mesmo como pessoa física (CPF) tenha acesso ao leilão. O limite máximo permitido para a comercialização é de até 33 mil sacas por produtor ou fazenda, o que equivale à produção em cerca de 300 a 400 hectares.

Há dois anos o setor conseguiu mais de R$ 480 milhões em prêmio de comercialização, o que representou recurso direto para o bolso do agricultor viabilizando a cultura do milho. “Com essa medida além de viabilizar o preço mínimo, vamos ajustar o mercado interno. Porque este milho vai começar a ser exportado e como resultado os estoques reduzem. Dessa forma o mercado interno automaticamente se ajustar”, afirma Gueller.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink