MT começará mais quente do que o normal em 2011

Agronegócio

MT começará mais quente do que o normal em 2011

A previsão é de temperaturas de 1° a 2ºC acima da média
Por:
1172 acessos

O Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam) divulgou, nesta sexta (10), o prognóstico climático para o trimestre (dezembro, janeiro e fevereiro) na Região Amazônica. Segundo o Sipam, a previsão é de que ocorram chuvas de normal a ligeiramente acima da média e temperaturas de 1° a 2ºC acima da média.

O mês de dezembro marca o início do trimestre mais chuvoso do ano no sul da Amazônia, condição que segue até fevereiro. De acordo com os técnicos, a região não é tão sensível quanto outras partes do País ao fenômeno La Niña (que resfria as águas do Pacífico), por isso, as chuvas devem ficar dentro da normalidade, exceto em algumas áreas isoladas dos Estados de Rondônia, Acre e Mato Grosso que poderão ter acréscimo acima da média em sua precipitação.

“Estamos em uma faixa de baixa correlação com o que acontece no pacífico equatorial, ainda assim, podemos dizer que nesse ano o chamado inverno amazônico será mais rigoroso do que o do ano passado nesses três estados”, explicou Luiz Alves, meteorologista do Centro Regional do Sipam, em Porto Velho.

Já nas porções leste e sudeste do Mato Grosso, o La Niña influencia de forma contrária, causando chuvas um pouco abaixo do normal. Isso acontece devido à proximidade com o sudeste do País, que deverá enfrentar um verão mais seco, podendo até sofrer posteriormente com desabastecimento.

Em relação às temperaturas, a previsão indica que 2011 começará mais quente do que o normal em três estados.

SIPAM - O Sistema de Proteção da Amazônia, vinculado a Casa Civil da Presidencia da República, foi criado para integrar informações e gerar conhecimento atualizado para articulação, planejamento e coordenação de ações globais de governo na Amazônia Legal brasileira, visando à proteção, à inclusão social e ao desenvolvimento sustentável da região.

O sistema utiliza dados gerados por uma complexa infraestrutura tecnológica, composta por subsistemas integrados de sensoriamento remoto, radares, estações meteorológicas e plataformas de dados, instalada na região.

A coleta, a visualização, o tratamento dos dados e o planejamento das ações são processados nos Centros Regionais do Sipam (CR´s), localizados em Belém, Manaus e Porto Velho, e sintetizados no Centro de Coordenação Geral (CCG), em Brasília.

Para a difusão das informações, o Sipam conta com uma rede de telecomunicações que tem mais de 700 Terminais Usuários em operação nos nove estados da Amazônia Legal (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Tocantins e também na Capital Federal, Brasília).

Entre seus objetivos está apoiar e contribuir com os órgãos parceiros, os estados e municípios da Amazônia Legal no controle dos desmatamentos; no combate à biopirataria; na proteção dos parques nacionais; no monitoramento da ocupação e o uso do solo; na proteção das reservas indígenas e na defesa das áreas de fronteira.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink