MT lidera casos de fábricas clandestinas de biodiesel

Agronegócio

MT lidera casos de fábricas clandestinas de biodiesel

Das 19 autuações feitas pela Agência Nacional de Petróleo em plantas clandestinas de biodiesel, 14 foram no estado de Mato Grosso
Por:
80 acessos

Das 19 autuações feitas pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) em plantas clandestinas de biodiesel, 14 foram no estado de Mato Grosso. Na maior parte dos casos, a produção ilegal é de agricultores que instalaram mini-usinas para abastecer a frota própria de caminhões e de máquinas agrícolas, driblando assim, o alto preço do diesel no Estado. Um litro custa no Norte de Mato Grosso em torno de R$ 2,20, enquanto o do biodiesel clandestino sai para o produtor a R$ 1,40, segundo Miguel Biegai Júnior, analista da Safras & Mercado. "Se por um lado essa região tem um dos maiores valores de diesel do País, por outro, possui um dos menores preços de soja", compara Biegai.

Na região Sudeste, em São Paulo, por exemplo, a relação é outra. O diesel custa R$ 1,80 o litro, enquanto o biodiesel (óleo de soja) sai por mais de R$ 2 para quem adquire o produto no mercado físico (spot), segundo Biegai. O balanço da ANP, que considera a fiscalização feita até o início de julho, identificou que maior parte das unidades clandestinas é de pequeno e médio portes, com produção entre 30 mil litros e 40 mil litros por dia, segundo Marcos Werner, coordenador de operações em biocombustíveis da ANP. "Mas há unidades maiores e com fabricação para comercialização", acrescenta Werner.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink