MT mantém liderança na comercialização de soja

Agronegócio

MT mantém liderança na comercialização de soja

Sozinho, Mato Grosso foi o responsável pelo embarque de 39% do total nacional
Por:
315 acessos

Das 22,61 milhões de toneladas de grãos de soja exportadas pelo Brasil de janeiro a julho deste ano, 8,82 milhões toneladas, ou 39%, saíram de Mato Grosso, que por mais um mês, se mantém na liderança nacional de produção do grão, como também, se fixa como o maior negociador da oleaginosa no País, conforme revela a análise das exportações estaduais divulgadas nessa quinta-feira (13) pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias no Estado (CIN/Fiemt).

Ainda observando o comportamento do complexo soja, o Estado embarcou 30% do farelo de soja exportado pelo país 25% do óleo de soja e 16% da glicerina extraída do grão e utilizada na preparação de remédios, produtos de uso pessoal, comida, bebida, tabaco, resinas, celofane e explosivos.

O acumulado do comércio internacional mato-grossense nestes sete primeiros meses de 2009 segue com resultados positivos à pauta local. Enquanto a balança comercial brasileira resulta em US$ 16,89, saldo 15,46% acima do acumulado em igual período do ano passado, a expansão da balança mato-grossense registra 27,16%, ou, 23,26% do total nacional. A balança é o resultado das divisas arrecadadas com as exportações, subtraídas das importações.

“O Estado mantém seu superávit comercial, mesmo que ainda haja um cenário de retração econômica mundial, e registra um montante de US$ 5,50 bilhões nas negociações externas, entre janeiro e julho de 2009. Este valor é 16% maior do que no mesmo período de 2008, enquanto que o Brasil registrou queda de 24,3%”, explica o assessor econômico da Fiemt, o economista Carlos Vitor Timo Ribeiro.

No mês de julho, isoladamente, foram registrados US$ 898,50 milhões em vendas externas, 16,4% superior ao mesmo período de 2008. É a maior taxa de crescimento do país e a única positiva entre os maiores exportadores nacionais, já que Tocantins, Amapá e Piauí, também tiveram resultado positivo, porém, ainda têm pouca representatividade no ‘bolo’ nacional.

"Mato Grosso mantém a sexta posição no ranking dos maiores exportadores e já responde por 6,5% do total comercializado pelo país, o que é bastante expressivo", avalia o presidente do Sistema Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Sistema Fiemt), Mauro Mendes.

IMPORTAÇÕES - As importações estaduais registraram queda de 37% em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com o assessor técnico de Comércio Exterior da Secretaria de Indústria, Comércio, Minas e Energia (Sicme), Paulo Henrique Cruz, a queda é explicada pela variação cambial. "Com o câmbio valorizado, percebe-se que há a retração nas compras externas, já que os produtos importados ficam mais caros. Porém, daqui para frente, com o dólar no patamar de R$ 1,80, haverá a valorização do real frente ao dólar que, consequentemente, propiciará o aumento das importações. Isso deve ocorrer a partir deste segundo semestre".

Comparando a taxa média de câmbio que vigorou em julho de 2008, R$ 1,59 para a média de R$ 1,93 em julho último, houve valorização de 21%, o que proporcionou um ‘ganho cambial’ de R$ 1,85 bilhão”, acrescenta Timo Ribeiro.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink