MT pode receber mais de R$ 1 bilhão do setor sucroalcooleiro
CI
Agronegócio

MT pode receber mais de R$ 1 bilhão do setor sucroalcooleiro

O governo apóia a iniciativa desde que a produção seja ambientalmente correta
Por: -Giuliano

Para garantir investimentos no estado, aproveitando o bom momento da produção de cana-de-açucar no País, a Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e representantes do setor sucroalcooleiro - produtores, industrias instaladas e novos investidores, entregaram ao governador Blairo Maggi, nessa terça-feira (23-01), um documento com uma série de reivindicações, a principal delas é a adequação na legislação ambiental estadual e federal.

Segundo o vice-presidente da Famato e empresário do setor, Normando Corral, o governo apóia os empreendimentos na área desde que a produção seja ambientalmente correta e socialmente justa. “Nós estamos aqui pra fazer exatamente isto”, garantiu Corral. Os investimentos na construção de novas usinas de álcool de porte médio, em Mato Grosso, podem superar R$ 1 bilhão. “Há interesse de grupos de fora e nós temos interessem em atrair estes grupos que irão investir em infra-estrutura, na capacidade produtiva e também gerar empregos no Estado”, garantiu Normando Corral.

O aumento da produção de álcool pode impulsionar uma proposta que deve ser estudada pelo Governo Federal na implantação do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC). O poliduto de Mato Grosso ao Porto de Paranaguá, no Paraná. Normando Corral explica que uma maior produção vai exigir soluções na logística de transportes do álcool. “Nós podemos ser grandes produtores de combustível de fonte renovável. É lógico que com a produção que podemos ter o poliduto levaria álcool e biodiesel para os estados consumidores e aos portos de exportação, solucionando o problema de transporte”, considerou o vice-presidente da Famato.

O setor sucroalcooleiro ocupa o terceiro lugar na economia de Mato Grosso com uma produção estimada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), na Safra 06/07, em 12,8 milhões de toneladas, deste total 5 milhões de toneladas são de açúcar e e 7,8 milhões são de álcool. Para o presidente da Famato Homero Pereira, os ponteiros foram devidamente acertados abrindo espaço para uma diversificação importante na economia de Mato Grosso. “A reunião foi bastante positiva e algumas pendências como a compensação de áreas, serão analisadas”, disse Pereira.

Também participaram da reunião, o Sindicato das Indústrias (Sindalcool) e a Associação de Fornecedores de Cana do Vale do Rio Paraguai (Assovale). As informações são da assessoria de imprensa da Famato.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink