MT se consolida em 2º nas exportações no país
CI
Agronegócio

MT se consolida em 2º nas exportações no país

China continua como o principal destino da soja mato-grossense
Por:
De janeiro a julho, os embarques somaram US$ 8,2 bilhões, alta de 38% ante o período de 2011

Os recordes na safra 2011/2012 em Mato Grosso, somada as quebras de produção em alguns Estados brasileiros e no exterior, estão proporcionando números jamais vistos nas exportações do agronegócio. De janeiro a julho o Estado já enviou para o exterior US$ 8,2 bilhões, receita 38% superior aos US$ 5,93 bilhões do período em 2011. O montante consolida o Estado como o segundo no ranking nacional, ficando atrás apenas de São Paulo (US$ 10,30 bilhões).

Somente para a China, maior cliente de Mato Grosso hoje, foram enviados US$ 3,6 bilhões em produtos. O complexo da soja tem uma participação de 80,8% da receita gerada com as exportações, ou seja, US$ 6,63 bilhões, que por sinal já superou em 47,95% o total dos envios em 2011. As informações são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que mostra ainda que dos US$ 8,2 bilhões o milho tem participação de 4,7% e o algodão 4,2%.

Produtores afirmam que produção e exportações podem aumentar ainda mais, entretanto a logística segue como o entrave.
 
Somente em soja em grão as exportações de Mato Grosso já somam US$ 5,02 bilhões e um volume de 9,8 milhões de toneladas, segundo dados da Secex no boletim semanal do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Ao se comparar com os embarques de janeiro a julho do ano passado o Estado já enviou 2,7% soja em grão ao exterior do que 6,8 milhões de toneladas no período de 2011 e 16,3% a mais em receita do que os US$ 4,31 bilhões, do ano passado.

Já julho exportou US$ 546,7 milhões e 1,008 milhão de tonelada, volumes 0,79% maior do que os US$ 542,4 milhões e 7,26% superior a 1,087 milhão de toneladas do mês o ano passado. Em junho de 2012, os embarques haviam somado US$ 817,8 milhões e 1,51 milhão toneladas.

No Topo

Conforme o gestor do Imea, Daniel Latorraca, as exportações em 2012 consolidaram-se com a tendência esperada. “Já prevíamos alta e agora ela confirmou-se. Mato Grosso ganhou papel de destaque com as quebras de produção do Rio Grande do Sul, Paraná, da Argentina, Estados Unidos e Paraguai. Todos miraram os olhos para nossa super safra e acabaram por ver nosso potencial”.

Latorraca comenta ainda que a partir de julho já é possível verificar uma leve redução nos envios da soja em grão, pois o que os produtores tinham já venderam. “Mas, diante do que se vê podemos, mesmo com os embarques diminuindo agora, superar até 2009 quando 10,6 milhões de toneladas foram vendidas”.

Para o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Carlos Favaro, os níveis de exportação tendem a aumentar em decorrência a aptidão de produção de Mato Grosso. “Principalmente o milho. Contudo para que isso ocorra é preciso melhores condições de logística”.

Milho

Em milho o Estado já enviou de janeiro a julho US$ 388,2 milhões e 1,5milhão de toneladas. A receita é 25,5% inferior ao período do ano passado, quando os embarques somaram US$ 21,7, referente a 2,09 milhões de toneladas enviadas. Em julho os negócios alcançaram US$ 214,3 milhões, com 869 mil toneladas comercializadas, o resultado é 256,6% maior que os US$ 60,1 milhões e 314,7% superior as 209,5 mil toneladas enviadas em julho do ano passado. Em junho de 2012 foram US$ 1,2 milhão e 4,9 mil toneladas.

“Até junho exportou-se o pouco que tínhamos em estoque, o que leva a um resultado oposto da soja. Contudo, com a colheita da 2ª safra do cereal intensificada em julho os envios subiram e a tendência é de recorde por conta da oferta e demanda”, diz Latorraca.

Exportações de algodão disparam e sobem 615%

Os recordes nas exportações não são apenas da soja, mas também do algodão. Em sete meses Mato Grosso as 189,22 mil toneladas embarcadas resultaram US$ 346,83 milhões. O montante é 615% superior aos US$ 48,45
milhões gerados de janeiro a julho de 2011 com as 26,11 mil toneladas enviadas para o exterior. Em toneladas os embarques subiram 624% neste ano. Os aumentos são decorrentes ao estoque da safra 2010/2011 que ainda havia no Estado e que foram escoados até junho. As informações são da Secex, divulgadas no boletim semanal do Imea.

O levantamento mostra ainda que em julho foram enviadas 12,3 mil toneladas de algodão que resultaram US$ 22,15 milhões. Ao se comprara com o mês em 2011 há uma alta de 51,3% no volume frente as 8,1 mil toneladas e 25,2% superior aos US$ 17,68 milhões. Porém, ao se relacionar com junho há queda, visto na ocasião terem sido enviados US$ 43,12 milhões e 23,9 mil toneladas.

“Até junho o que enviou-se de algodão é o que Mato Grosso tinha em estoque. Já em julho começaram os embarques da safra 2011/2012. A tendência é crescer agora de agosto em diante”, comenta o gestor do Imea, Daniel Latorraca. Ele comenta ainda que os envios em 2011 foram altos por conta do estoque de algodão na época estar em baixa, o que fez no Estado a arroba da pluma chegar a R$ 130 em meados de fevereiro e março.

“Os estoques mundiais estavam em baixa e os preços subindo por conta disso, o que fez os produtores de Mato Grosso e do mundo investir na cotonicultura e que consequentemente derrubou os preços”.

Latorraca comenta que a cotação em alta no início de 2011 fez com que a indústria nacional freasse a compra do algodão, o que auxiliou para elevar os estoques.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink