Municípios mato-grossenses estão entre maiores criadores de bovinos do país

Agronegócio

Municípios mato-grossenses estão entre maiores criadores de bovinos do país

Também cresceu no último ano o rebanho equino estadual
Por:
294 acessos

Também cresceu no último ano o rebanho equino estadual

No Estado, 5 municípios estão entre os 20 do país com os maiores rebanhos. Entram no ranking Cáceres (4º lugar) com 1,083 milhão de cabeças, Juara (7º lugar) com 945,566 mil bovinos, Alta Floresta (13º lugar) com 716,438 mil animais, Pontes e Lacerda (16º lugar) com 661,390 mil bovinos, e Vila Rica (17º lugar) com 657,676 mil animais. As informações constam na Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM), divulgada nesta quinta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na liderança do ranking municipal está São Félix do Xingu (PA), com 2,222 milhões de bovinos, seguido pelos municípios sul mato-grossenses de Corumbá, com 1,755 milhão de cabeças de gado, e Ribas do Rio Pardo, com 1,101 milhão de bovinos. Em todo o país, o rebanho de bovinos alcançou a marca recorde de 215,2 milhões de cabeças em 2015, após crescimento de 1,3% em relação a 2014. Segundo o IBGE, apenas Nordeste brasileiro registrou queda no número de bovinos (-0,9%).

Destaque na pecuária brasileira, o rebanho bovino mato-grossense totalizou 29,364 milhões de cabeças em 2015, ante 28,592 milhões no ano anterior. Para o superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Francisco Manzi, é perfeitamente possível que o rebanho bovino continue a crescer. “Temos 23 milhões de hectares de pastagens, então, desde que haja demanda por carne, temos condições de produzir mais”.

A produtividade pode ser quintuplicada, diz ele, com o uso de todo o pacote tecnológico. Como exemplo, cita o melhoramento genético, pastagens com gramíneas bem adaptadas e resistentes às variáveis climáticas, adubações, investimento em confinamento e semiconfinamento e em técnicas de integração lavoura-pecuária. Para ele, o aumento do rebanho é natural no atual ciclo pecuário, em que os bezerros estão mais valorizados e os pecuaristas retêm as matrizes. 

Também cresceu no último ano o rebanho equino estadual, que totalizou 418,766 mil animais, acréscimo de 38,41% sobre 2015 (302,543 mil). Com a expansão, o Estado ocupa a 4ª posição no ranking nacional. Entre os 20 municípios brasileiros com o maior número de equinos estão Cáceres (11,607 mil animais) na 10ª posição, Poconé (13,143 mil) na 13ª classificação e Vila Bela da Santíssima Trindade (12,443 mil) na 15ª colocação. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink