Muzambinho negocia cachaça

Agronegócio

Muzambinho negocia cachaça

Assim como no caso café, o consumo da tradicional cachaça brasileira tem resistência nos países do Mercosul
Por:
78 acessos
Na Fazenda Santo Antônio do Campestre, onde fica a sede da empresa mineira Fazenda Muzambinho, os cafezais dividem espaço com a cana-de-açúcar. A disputa neste caso é saudável. O empresário Eduardo Campedelli Galante também tem um plano de ação para exportar cachaça, com produção artesanal em sua fazenda.


A área com cana ocupa 46 hectares e toda a produção é destinada à cachaça. O primeiro alambique foi instalado na fazenda em 1924 pelo avô do empresário, Lauro Campedelli. "Nossa produção de cachaça sempre foi para consumo próprio", lembra Galante. Mas foi a partir da década de 90, que o empresário decidiu investir na produção artesanal de cachaça para a comercialização.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink