Negociações na Ucrânia trazem otimismo ao mercado
CI
Imagem: Pixabay
MUNDO

Negociações na Ucrânia trazem otimismo ao mercado

Antes do início da guerra, a Ucrânia era projetada para ser o terceiro maior exportador mundial de trigo
Por: -Leonardo Gottems

O trigo e o milho ucranianos podem voltar a fluir para os mercados mundiais depois que as negociações entre vários países deram frutos, segundo informações do agriculture.com. O presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, supostamente fizeram progressos na retomada dos embarques da Ucrânia, mas com algumas ressalvas.    

Putin disse que está aberto a permitir exportações de grãos dos portos ucranianos, mas apenas se os países ocidentais suspenderem as sanções impostas aos produtos agrícolas russos, segundo vários relatos da mídia. Ele também disse que está aberto a reabastecer a Europa com gás, mas apenas se as sanções contra o país forem aliviadas. As exportações de produtos agrícolas do país devastado pela guerra foram praticamente interrompidas em meio a ataques russos desde fevereiro.

Antes do início da guerra, a Ucrânia era projetada para ser o terceiro maior exportador mundial de trigo e o quarto maior exportador de milho, segundo dados do USDA. Em junho, a Ucrânia só conseguiu embarcar cerca de 2,5 milhões de toneladas métricas de grãos, bem abaixo da média de cerca de 8 milhões de toneladas antes do início dos ataques, segundo vários relatórios.

Ainda assim, nenhum acordo está em vigor, mesmo depois de um acordo ter sido alcançado há uma semana. Em 13 de julho, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, disse que trabalharia com as Nações Unidas para finalizar um plano para obter grãos de seu país.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, disse em um discurso na época que havia "um raio de esperança" para acabar com o bloqueio às exportações ucranianas e ajudar a acabar com as crises alimentares que foram exacerbadas pelos ataques em andamento da Rússia. Após a reunião de ontem, Guterres está otimista de que um acordo será concluído, disse um porta-voz. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.