Negociações para o 1ºsemestre estão praticamente finalizadas
CI
Imagem: Divulgação
FERTILIZANTES

Negociações para o 1ºsemestre estão praticamente finalizadas

Vale destacar que os elevados patamares de preços de gás natural também têm impactado a produção de nitrogenados na Europa
Por: -Aline Merladete

Com o avanço do plantio da safra de verão dos grãos as negociações dos fertilizantes para o 1º semestre de 2022 estão praticamente finalizadas. Nas culturas de café e cana de açúcar, que adquirem produtos de maneira mais distribuída ao longo do ano, pode-se dizer que negociações continuam ocorrendo, porém em menor escala para o início de 2022. No tocante às compras para o segundo semestre do próximo ano, é notório que as novas altas das cotações dos macronutrientes continuam fazendo com que a relação de troca projetada para a safra 2022/23 permaneça nos piores patamares dos últimos anos.

Nitrogenados e Fosfatados

Os dois macronutrientes têm sido afetados pelas incertezas na oferta global devido às dificuldades no fornecimento de produtos pelos principais países produtores. No caso da China, a maior produtora global de fosfatados e nitrogenados, o país está passando por uma crise energética causada pelos elevados patamares de preços e disponibilidade de carvão e gás natural. Com este fato, as províncias produtoras de fertilizantes diminuíram ou até interromperam a produção dada a escassez de energia, e com isso o país tem adotado medidas para restringir as exportações.

Neste mesmo caminho, a Rússia, que é a maior produtora de nitrogenados com grande representatividade nas importações brasileiras, anunciou no mês de novembro de 2021 limites de volumes de exportação tanto de nitrogenados quanto de MAP e DAP. A restrição de volume tem como objetivo proteger a disponibilidade local face à preocupação de menores exportações de produtos chineses. Em um contexto geral, o volume de exportação que a Rússia impôs como limite é praticamente o mesmo comparado com as exportações que foram realizadas no mesmo período de 2020, o que significa que caso haja redução relevante da oferta chinesa, os produtos russos poderão não ser suficientes para compensar tais perdas de volumes.

É válido destacar que os elevados patamares de preços de gás natural também têm impactado a produção de nitrogenados na Europa, onde algumas plantas relataram diminuição na capacidade de produção pelo aperto nas margens. 

Pontos de atenção

Potássicos

No caso dos potássicos, as cotações elevadas também refletem as incertezas do lado da oferta de produto provenientes da Bielorrússia. O país é grande fornecedor global do macronutriente, responsável por 20% do volume total das importações de KCl do Brasil.

Desde o anúncio das sanções dos EUA e UE contra a Bielorrússia, as indefinições diante das medidas restritivas dos países e o temor da escassez de produtos acabaram impulsionando os preços. Nas últimas semanas o recrudescimento das questões políticas tem sustentado os preços elevados dos potássicos. 

Os dados são do relatório da Consultória Agro Itaú.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.