Agronegócio

No interior, Prado conclama produtores para debater Fethab 2

O presidente do Sistema Famato/Senar participou no último fim de semana para atualizar os produtores rurais sobre a discussão em torno do novo Fethab.
472 acessos

O presidente do Sistema Famato/Senar, Rui Prado, aproveitou os encontros de trabalho dos quais participou no último fim de semana, na região norte de Mato Grosso, para atualizar os produtores rurais sobre a discussão em torno do novo Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab). Conhecido como Fethab 2, o investimento, proposto pelo governo do Estado, deve ser cobrado ainda este ano com valor dobrado em relação ao tributo já pago pelos agropecuaristas para aplicação em obras de pavimentação e construção de rodovias, dentre outras necessárias à infraestrutura estadual.
 
Nesta terça-feira (07.06), acontece uma assembleia extraordinária dos presidentes de Sindicatos Rurais na sede do Sistema Famato/Senar para o debate sobre o novo Fethab. O governador Pedro Taques também foi convidado para o encontro, em que o posicionamento dos representantes dos produtores rurais de Mato Grosso será definido.
 
"Tenho duas notícias a dar para vocês. A primeira é que o governo do Estado terá recursos para construir e pavimentar rodovias, o que é bom pra a gente. A outra é que quem vai investir dinheiro para que isso aconteça somos nós, produtores rurais. O debate tem sido exaustivo, mas não haverá outro caminho. Por isso, reforço que todos devem comparecer à assembleia na terça-feira para decidirmos como isso vai se dar", conclamou Rui Prado durante a formatura de Gerentes de Fazendas, em Sorriso,  na inauguração do Núcleo Avançado de Capacitação (NAC) de Cortiguaçu, no II Encontro do Agronegócio de Paranaíta e durante o lançamento da pedra fundamental do NAC de Brasnorte.
 
Embora os eventos tenham sido técnicos, o aspecto político ganhou a cena, pois a maioria dos produtores e presidentes de sindicatos rurais presentes já estava na expectativa de entender como a cobrança se dará. "A gente está acompanhando a briga do Fethab 2 . Tenho que agradecer ao Rui que teve peito, junto do Endrigo (Dalcin, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso – Aprosoja), de não aceitar o Fethab 2 goela abaixo. Parabéns pela coragem, por ter a hombridade de querer escutar suas bases, diferente de outras associações. É inaceitável um presidente não querer ouvir suas bases e aceitar de goela abaixo o que a gente não sabe nem se quer", comentou o presidente do Sindicato Rural de Brasnorte, Aldo Rezende Telles Júnior, no último sábado (04.05), durante a solenidade de lançamento da pedra fundamental do NAC da cidade.
 
Em Paranaíta, algumas horas antes, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) aproveitou a leitura da Carta de Fomento ao Desenvolvimento do Agronegócio Regional, assinada por prefeitos de oito municípios do extremo norte do Estado, para endossar a luta das lideranças do setor por melhorias de infraestrutura na região. Prado lembrou as várias contribuições já feitas pelo agronegócio aos cofres públicos de Mato Grosso, mas deixando claro que a cobrança do Fethab 2 será uma realidade muito em breve.
 
A carta trouxe reivindicações como agilidade no processo de licenciamento ambiental da jazida de calcário, insumo essencial à atividade agropecuária, existente em Apiacás, além da pavimentação da MT-206, que liga o município a Paranaíta.
 
"Essa carta aqui, eu assumo o compromisso, em nome dos produtores rurais, de lutar com muito empenho por essas reivindicações, todas factíveis de serem realizadas. Essa questão da jazida de calcário, a Embrapa, desde a década de 1960, já demonstrou que só foi possível produzir no Cerrado com o uso do calcário. Não é possível ainda estarmos discutindo licenciamento aqui! Mas não adianta também licenciar a jazida de calcário se a estrada não permitir a condução deste insumo, o mais importante para a agropecuária brasileira. Tem que ser realizada a pavimentação dessas estradas da região".
 
Rui Prado lembrou que o governo precisaria de R$ 10 bilhões para realizar todas as obras de pavimentação de rodovias estaduais. Com o Fethab 2, espera arrecadar, dentro dos próximo sete anos, cerca de R$ 2 bilhões oriundos da produção agropecuária. "Mesmo nós já pagando muito aos cofres estaduais, o governador nos convidou para fazer esses investimentos. Nós resistimos muito, porque queremos que o governo tome outras medidas também, e ele nos garantiu que está tomando medidas de contenção de despesas no Estado. Portanto, nós querendo ou não, esses investimentos vão acontecer por meio do Fethab 2".
 
ENCONTRO – A parte técnica do evento em Paranaíta, cujo tema foi Cadeias Produtivas – Fomentando o Desenvolvimento Regional, foi conduzida por técnicos do Sistema Famato. O superintendente do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária, Daniel Latorraca, demonstrou estratégias para o crescimento da agropecuária no município. O painel "Paranaíta, a mais nova fronteira de Mato Grosso" abordou as cadeias produtivas da pecuária de corte e de leite e de piscicultura.
 
Esta foi a segunda edição do evento, que contou com a participação de mais de 200 integrantes, além de autoridades do setor, como o secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink