Nota Técnica da Adapec afirma que não há mais foco de Mormo no Tocantins

Mormo

Nota Técnica da Adapec afirma que não há mais foco de Mormo no Tocantins

Adapec divulgou uma Nota Técnica onde afirma que todas as propriedades focos para Mormo foram saneadas
Por:
277 acessos

A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) divulgou na terça-feira, 10, uma Nota Técnica onde afirma que todas as propriedades focos para Mormo foram saneadas, portanto até a presente data, todos os focos existentes foram extintos do Estado do Tocantins. Desde 2015 quando surgiram os primeiros casos no Estado, a Agência traçou uma série de medidas sanitárias para controlar os focos da doença. O último registro de animal positivo foi em 22 de novembro de 2017.

O presidente da Adapec, Humberto Camelo comemorou a notícia afirmando que ao longo destes anos o órgão trabalhou de maneira séria e intensiva para manter o controle da doença, e que a mesma, não se alastrasse por outras regiões. “Esta informação é motivo de comemoração para nós e para todos os produtores rurais do Tocantins que possuem equídeos, pois desde a confirmação do primeiro foco, que ocorreu em junho de 2015, a Adapec tomou todas as medidas de defesa sanitárias necessárias para sanear os focos, investigar os vínculos epidemiológicos dentre outras medidas, todas com o objetivo de controlar e impedir a disseminação da enfermidade”, disse Humberto.

O responsável pelo Programa Estadual de Sanidade dos Equídeos (PESE), Raydleno Mateus Tavares, explicou que o trabalho realizado pela equipe técnica da Adapec foi criterioso para evitar a disseminação da doença para outras regiões do Estado, onde foram saneadas todas as 19 propriedades focos; investigação epidemiológica em mais 104 propriedades, resultando em 2.365 exames em animais. “Hoje podemos afirmar que graças a este trabalho conseguimos extinguir os focos nos municípios envolvidos: Formoso do Araguaia, Sandolândia, Cariri, Palmas e Palmeirante”, disse Raydleno.

Mesmo com esta noticia é importante que os produtores rurais continuem atentos aos cuidados para evitar o surgimento de novos focos, comprar animais somente com exames negativo para a doença. Além disso, em caso de suspeita do Mormo comunicar imediatamente à Adapec.

Para retomar o status de zona livre do mormo, o Tocantins precisa estar três anos sem notificação de focos da doença, além de passar pelos processos normativos do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O Mormo

O Mormo é uma doença infectocontagiosa causada pela bactéria Burkholderia mallei que acomete principalmente os equídeos (asininos, equínos e muares). Nos equídeos, os principais sintomas são nódulos nas narinas, nos pulmões e nos gânglios linfáticos, corrimento purulento, pneumonia, febre e emagrecimento. Existe ainda a forma assintomática na qual os animais não apresentam sintomas, mas possuem a enfermidade, sendo uma importante fonte de infecção para animais sadios e humanos. Não existe vacina e nem tratamento, o único método preconizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento- MAPA é o sacrifício sanitário dos animais positivos, conforme Instrução Normativa MAPA Nº 06, de 16 de janeiro de 2016.”

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink