Novas cultivares de soja da Embrapa começam a chegar no mercado na próxima safra
CI
Agronegócio

Novas cultivares de soja da Embrapa começam a chegar no mercado na próxima safra

Por: -Admin

As novas cultivares de soja da Embrapa Trigo de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, desenvolvidas em parceria com a Fundação Pró-Sementes, começam a chegar ao mercado já na próxima safra. Os materiais estão sendo apresentados no Semear Verão 2004, que iniciou em fevereiro no Mato Grosso do Sul e agora se expande para outros quatros estados no mês de março.

A valorização da soja no cenário agrícola mundial está despertando o interesse do produtor para investir em tecnologia. A avaliação é do diretor da Fundação Pró-Sementes, Rui Colvara Rosinha, lembrando que a proposta do Semear é auxiliar o produtor na escolha das cultivares, orientando sobre as características específicas de cada material. “Quem visitar as unidades demonstrativas do Semear vai poder conferir dez novas cultivares de soja adaptadas a cada um dos cinco estados de abrangência do evento”.

Além de verificar o desempenho das cultivares no campo, o produtor também vai poder tirar dúvidas sobre a condução dos experimentos e os resultados. No calendário do Semear Verão 2004 estão previstas cinco cidades, Ponta Grossa (PR), nos dias 18 e 19, Manduri (SP), dia 19, Passo Fundo (RS), dias 24 e 25, Campos Novos (SC), dias 30 e 31 e Santa Rosa (RS), dias 1° e 02 de abril.

Conforme o melhorista da Embrapa Trigo, Paulo Bertagnolli, todas as cultivares de soja que estão sendo lançadas apresentaram estabilidade no rendimento de grãos e grande potencial produtivo. “A cultivar que mais se destaca é a BRS Invernada. Conseguimos um material resistente ao nematóide de cisto – raça 3. É um dos primeiros materiais desenvolvidos com esta característica”, explica o pesquisador, lembrando que a BRS Invernada ainda tem como vantagem o período produtivo mais longo, mantendo o crescimento mesmo em época de estiagem.

Outro diferencial que chama a atenção nos lançamentos, segundo Bertagnolli, é a ampla adaptação das cultivares BRS Guapa, BRS Cambona e BRS Candiero, que tem indicação de plantio para os cinco estados avaliados (RS, SC, PR, SP e sul do MS).

Numa avaliação geral, as dez cultivares (BRS Invernada, BRS Torena, BRS Macota, BRS Tebana, BRS Sinuelo, BRS Querência. BRS Candiero, BRS Cambona, BRS Guapa e BRS Raiana) apresentam resistência a mancha olho-de-rã e ao cancro da haste.

Quanto à podridão parda da haste, somente a BRS Invernada se mostrou suscetível a doença, todas as demais apresentaram resistência. “As cultivares estarão disponíveis para lavoura comercial para a safra 2005/2006, exceto a BRS Torena e BRS Macota que já podem ser adquiridas pelos produtores junto aos instituidores da Fundação Pró-Sementes”, conclui Bertagnolli.

Abaixo acompanhe as cultivares de soja do Semear Verão 2004:

BRS Invernada: indicada para cultivo no Paraná e São Paulo, onde o rendimento nos parcelões variou de 3.000 a 3.500 kg/ha. Suscetível a podridão parda da haste, oídio e mosaico comum. Resistente ao nematóide de cisto – raça 3. Apresenta ciclo de maturação precoce. Sementes disponíveis para safra 2005/2006.

BRS Macota: O termo ‘Macota’ significa grande, superior em qualquer sentido. Ele define a atuação da cultivar no campo. Avaliada nos ensaios de rendimento em 24 locais, a BRS Macota manteve a média de 3.000 kg/ha, nos estados do RS, SC, PR e SP. É moderadamente resistente ao nematóide de galha e à pústula bacteriana, mas altamente suscetível ao oídio e ao crestamento bacteriano. O ciclo é precoce e a cultivar já conta com semente para a safra 2004/2005.

BRS Raiana: Rendimento de grãos alcançando 3.400 kg/ha no Paraná e 3.007 kg/ha em São Paulo, estados para onde a cultivar é indicada. ‘Raiana’ significa ‘que nasceu na fronteira’, no caso os limites territoriais entre os dois estados. Resistente ao mosaico comum e moderadamente resistente ao oídio. Ciclo de maturação precoce e disponibilidade de sementes na safra 2005/2006.

BRS Sinuelo: O diferencial desta cultivar é a resistência a maioria das doenças que incidem na soja. Além da resistência a mancha olho-de-rã, ao cancro da haste e a podridão parda da haste (às quais todas as novas cultivares apresentaram resistência), a BRS Sinuelo também se mostrou resistente ao mosaico comum e ao oídio. A cultivar ainda é altamente resistente ao acamamento, problema comum na região Sul (PR, SC e RS) para onde é indicada. O rendimento médio ficou em 3.250 kg/ha. O ciclo é médio e as sementes estarão disponíveis na safra 2005/2006.

BRS Tebana: Também indicada para as regiões frias do RS, SC e centro sul e sudeste do PR. Suscetível ao nematóide de galha e ao oídio, mas resistente ao mosaico comum e ao acamamento. Rendimento médio de 3.200 kg/ha. Ciclo médio e sementes disponíveis na safra 2005/2006.

BRS Cambona: ‘Cambona’ é a chaleira rústica usada pelos tropeiros. Feita de lata com alça de arame, precisava resistir às longas jornadas, mantendo a água quente durante as muitas horas em que ficava sob o fogo de chão. A rusticidade da cultivar garante a resistência ao oídio e ao acamamento, apresentando ciclo médio no PR, SP e sul do MS, e ciclo semitardio no RS e SC. Suscetível ao mosaico comum e ao nematóide de galha. Os rendimentos ficaram em 3.200 kg/ha no RS e SC, 3.400 kg/ha no PR e SP, chegando a 3.560 kg/ha no sul do MS. A comercialização de sementes só deve acontecer na safra 2005/2006.

BRS Candiero: Material semelhante a BRS Cambona, também suscetível ao mosaico comum e ao nematóide de galha, mas moderadamente resistente ao oídio. Com ampla adaptação, é indicada para os cinco estados (RS, SC, PR, SP e sul do MS). Os rendimentos variam de 3.100 kg/ha no RS a 3.500 kg/ha no sul do MS. Ciclo semitardio e disponibilidade de sementes para a safra 2005/2006.

BRS Guapa: Forte, vigorosa, corajosa, a BRS Guapa se mostrou suscetível apenas ao nematóide de galha. O ciclo é semitardio, no RS e SC, e médio no PR, SP e sul do MS. Rendimentos semelhantes a BRS Candiero e BRS Cambona, partindo de 3.070 kg/ha no RS até chegar a 3.700 kg/ha no sul do MS. Sementes para a safra 2005/2006.

BRS Querência: A baixa estatura garante a resistência ao acamamento, com indicação para o RS e SC. O rendimento médio é de 3.100 kg/ha. Suscetível ao oídio, mosaico comum e nematóide de galha. O ciclo é tardio com disponibilidade de sementes para safra 2005/2006.

BRS Torena: Tem indicação de cultivo para RS, SC e centro-sul e sudeste do PR. A BRS Torena foi avaliada em 28 ensaios no período 1999/2001. O rendimento médio ficou em 3.250 kg/ha. Resistente ao mosaico comum, mas suscetível ao oídio e ao nematóide de galha. O ciclo é semitardio, com sementes disponíveis para a safra 2004/2005.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink