Novo chefe-geral da Embrapa Agroenergia é empossado

Agronegócio

Novo chefe-geral da Embrapa Agroenergia é empossado

A cerimônia de posse no cargo foi realizada ontem, na sede do centro de pesquisa, em Brasília
Por:
561 acessos

A cerimônia de posse no cargo foi realizada ontem, na sede do centro de pesquisa, em Brasília

Estímulo e foco no impacto dos resultados e na transferência de tecnologia. Essa é a primeira diretriz apontada por Guy de Capdeville como norte de sua gestão à frente da Embrapa Agroenergia, cuja chefia-geral assumiu em 17/10/2016. A cerimônia de posse no cargo foi realizada ontem, na sede do centro de pesquisa, em Brasília, DF.

Em seu discurso no evento, Capdeville também se comprometeu a promover alianças para a inovação. "Ao promovermos alianças e parcerias, ampliamos nossa capacidade de produzirmos resultados de impacto e realmente úteis à sociedade, além de ampliar o rol de alternativas para capacitar nossos trabalhadores em temas na fronteira do conhecimento", avalia o novo chefe-geral. Ele ainda enumerou mais duas diretrizes para seu trabalho: "fortalecer e integrar processos, setores e, principalmente, o capital humano da Unidade" e "fortalecer os setores de comunicação e tecnologia da informação".

O papel da equipe de empregados e colaboradores para o cumprimento da missão da Unidade foi enaltecido pelo chefe-geral. "Sua juventude, motivação e comprometimento permitiram que nos colocássemos em lugar de destaque no cenário nacional das instituições de pesquisa que atuam no tema da agroenergia", lembrou. "Vocês são a essência desta instituição. Comprometo-me a trabalhar para dar espaço a um ambiente de harmonia, motivador e produtivo e conto com vocês para abraçar esta causa, para juntos contribuirmos para a construção de um País com uma agricultura e uma indústria cada vez mais produtiva e sustentável", completou, dirigindo-se aos empregados da Casa.

Capdeville é engenheiro agrônomo e mestre pela Universidade Federal de Viçosa, com doutorado em Fitopatologia pela Cornell University (Estados Unidos). Ingressou como pesquisador na Embrapa em 2001 e, em 2011, tornou-se chefe-adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Agroenergia, na gestão de Manoel Teixeira Souza Júnior, a quem sucede na Chefia-Geral.

No evento de ontem, Souza destacou a finalização da construção e montagem dos laboratórios e a contratação de boa parte da equipe atual entre as realizações do período em que esteve à frente da Unidade. Para ele, a transmissão do cargo era um momento de alegria. Souza considera que o centro de pesquisa avançou muito em direção à visão de futuro que tinha em 2011. Emocionado, afirmou sobre seu período na chefia: "Esse foi, até hoje, o maior desafio profissional da minha vida".

Presente na cerimônia, o secretário-ajunto da Casa Civil e Relações Institucionais, Igor Tokarski disse que "2016 foi um ano difícil e tem sido, mas, nas palavras do Manoel e Guy, e sua emoção, sentimos que todo o esforço tem valido a pena". "Sinto-me privilegiado por testemunhar pessoas imbuídas do espírito público", completou.

Primeiro chefe-geral da Embrapa Agroenergia, o pesquisador Frederico Durães considerou o evento de ontem uma agenda positiva para a Embrapa, que marca o processo de consolidação e crescimento do centro de pesquisa criado há dez anos. Para Durães, que atualmente é gerente-geral da Embrapa Produtos e Mercado, a abertura de uma instituição dedicada à agroenergia foi um passo ousado na época, como continuam sendo ousadas as áreas de pesquisa em que a Unidade está atuando.

Ao cumprimentar o novo chefe-geral e o que deixa o cargo, o presidente Maurício Lopes relembrou o processo de seleção para o posto, no qual a contribuição da Embrapa Agroenergia para a Empresa e para a sociedade foi intensamente debatida, como um exercício de avaliação e discussão dos resultados e dos desafios da instituição.

Maurício Lopes ressaltou o papel da Unidade em um cenário de megatendências e transformações globais, como as discussões em torno do clima, a pressão da urbanização sobre as cidades e recursos naturais e a transformação digital. "É preciso que a Empresa se posicione de maneira cada vez mais eficiente frente aos novos desafios e às demandas da sociedade. Emerge um novo padrão de consumo que exige um novo paradigma de produção", destacou.

Nesse sentido, o presidente ressaltou a programação de pesquisa da Embrapa Agroenergia, que é contemporânea e busca dialogar com as tendências e os riscos da atualidade, "isso tudo graças ao comprometimento e à competência das pessoas que fazem esta Unidade", completou. Lopes encerrou a cerimônia de posse do novo chefe geral colocando a Diretoria-Executiva à disposição da chefia e de todos os empregados da Embrapa Agroenergia no desafio de continuar a ser referência nacional e mundial na sua área de atuação.

Degustação da pesquisa

Após o evento, os participantes degustaram um coquetel com produtos da pesquisa da Embrapa. Teve caldinho do feijão rajado BRSMG Realce, doado pela Embrapa Produtos e Mercado; beiju da Embrapa Mandioca e Fruticultura; pasta de grão de bico da Embrapa Hortaliças; e o maracujá pérola do Cerrado, doado pela Embrapa Cerrados. No cafezinho, café arábica e blend de arábica com conilon da Embrapa Rondônia, com apoio da Embrapa Café


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink