Novo trecho do Etanolduto deve ser inaugurado ainda em 2014
CI
Agronegócio

Novo trecho do Etanolduto deve ser inaugurado ainda em 2014

Projeto vai facilitar escoamento do biocombustível das regiões produtoras
Por:

Há alguns anos, a ideia de um projeto que interligasse o transporte de etanol de importantes centros de produção com os principais pontos de distribuição, parecia utopia. Mas o que era sonho começou a tornar-se realidade em 2013, com a inauguração do primeiro trecho, entre Ribeirão Preto e Paulínia, do Etanolduto. E a segunda-fase, que liga o Terminal Terrestre de Ribeirão Preto ao Terminal Terrestre de Uberaba, no Triângulo Mineiro, segue com as obras aceleradas, com previsão de conclusão para agosto deste ano.

Com investimentos de aproximadamente R$ 7 bilhões, o projeto facilitará o escoamento do biocombustível das regiões produtoras de cana nos Estados de Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso Sul, Rio de Janeiro e São Paulo. Quando completo, o sistema logístico terá a capacidade de transportar 20 milhões de m³ de etanol por ano e armazenar 1,2 milhão de m³. A obra prevê ainda cerca de 1.300 km de extensão de dutos e 700 km de hidrovia, 15 terminais de coleta e distribuição.

No trecho “Ribeirão-Uberaba” será construído 145 km de duto além do terminal, com capacidade para armazenar 28 milhões de m3 de etanol.

A empresa responsável pelo projeto afirmou que o sistema adotado por ela é pioneiro no mundo, inovador e sustentável, e age em complemento aos modais existentes para o transporte de etanol, baseado em um conjunto de dutos para a condução de líquidos por meio de bombeamento de forma rápida, segura e em larga escala.

Para o diretor Técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio Padua Rodrigues, o projeto é um avanço estratégico que trará uma grande economia ao setor sucroenergético.

“O etanolduto vai aumentar a competitividade do etanol no mercado doméstico e internacional. A economia na ordem de 20% com o transporte trará ainda um importante beneficio para a indústria da cana, tão castigada nos últimos anos,” explicou o diretor da UNICA. 

Juntando forças

Criada em 2011, a Logum Logística é resultado de um projeto inovador que envolve seis conceituadas empresas dos setores de engenharia, energia e transporte: Camargo Corrêa Construções e Participações (10%), Copersucar (20%), Raizen (20%), Odebrecht Transport Participações (20%), Petrobras (20%) e Uniduto Logística (10%). Juntas elas são responsáveis por três projetos individuais de etanoldutos que incluem a construção de dutos, de sistemas de transporte por hidrovias, rodovias, cabotagem, além de operações em terminais aquaviários, portos e armazéns.

O Etanolduto é financiado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), e faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), promovido pelo Governo Federal. A expectativa é que o sistema esteja em plena operação, em janeiro de 2016.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink