Agronegócio

Número de matrizes será dobrado em Mato Grosso

A suinocultura de MT fecha este ano com saldo positivo e estima alta em 2007
Por: -Redação
2 acessos

A suinocultura de Mato Grosso fecha o ano de 2006 com saldo positivo e estima elevação do número de matrizes suínas em até 50% em 2007, com a chegada de novos investimentos da Sadia e a implantação de novas plantas de suinocultura no Estado. A expectativa do segmento é que o número de matrizes suba de 70 mil para até 140 mil.

Mato Grosso reúne ainda, segundo dados do Instituto Nacional de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea/MT), 84 mil matrizes de criatório. São mais de um milhão de animais no Estado somando o rebanho tecnificado com os criatórios.

No ano de 2006 o crescimento da suinocultura mato-grossense passou por um período de crise em função do embargo russo. Isso fez com que os suinocultores sofressem com a queda do valor do quilo do suíno, em razão da alta oferta no mercado interno. O preço de venda caiu a R$ 0,85 o quilo/vivo enquanto o custo de produção ficou, à época, em R$ 1,25.

Depois da abertura do mercado russo às exportações de carne suína e bovina à Mato Grosso, em agosto, o mercado começou a aquecer. O preço do quilo/vivo chegou a R$ 1,10 e em setembro passou para R$ 1,80. O que equivale a uma alta de quase 70% no valor.

A Rússia é o principal mercado consumidor da carne brasileira, ela ainda distribui pra toda a Ásia e por isso é um mercado importante pra nós. Atualmente, apenas Mato Grosso, Rondônia, Acre e Rio Grande do Sul tem acesso a esse mercado, pois não estão com suas exportações suspensas para aquele país.

De acordo com a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), os produtores do Estado tem como objetivo, ampliar cada vez mais o mercado, crescendo com qualidade. Por isso mesmo investem em campanhas e qualificação da cadeia produtiva suinícola

Consumo:

Em parceria com a Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), a Acrismat realizou uma campanha com a Associação dos Supermercados do Estado (Asmat), para elevação do consumo da carne suína. As ações começaram na rede supermercados Modelo, na Capital, e em pouco mais de seis meses o consumo aumentou 70%, a estimativa era comercializar 400 toneladas este ano, mas a Asmat antecipa que irá fechar com média de vendas acima de 500 toneladas. Só neste Natal a rede espera comercializar 40 toneladas de carne suína, 15 toneladas a mais em relação ao mesmo período de 2005.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink