O melhor da nossa terra
CI
Agronegócio

O melhor da nossa terra

Especialistas vão a campo para conferir desempenho de maquinários
Por:
Durante cerca de 20 dias, a rotina do professor de agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Luiz Fernando Coelho de Souza foi a estrada. Entre meados de julho e o início de agosto, ele percorreu mais de 7,2 mil quilômetros, passou por 50 municípios gaúchos e catarinenses e conheceu 62 propriedades.

Tanto trabalho foi necessário porque Coelho é um dos jurados e o coordenador da comissão julgadora do Prêmio Gerdau Melhores da Terra, a maior premiação para o setor de máquinas e equipamentos agrícolas da América do Sul. Ele e outros 12 especialistas em agronegócio do país – vinculados a universidades e institutos agropecuários – visitaram, no total, mais de 400 municípios do Brasil, Uruguai, Argentina, Paraguai e Chile para poder avaliar 34 equipamentos inscritos na categoria Destaque, a mais tradicional do prêmio.

O Melhores da Terra serve como um estímulo ao surgimento de novas soluções tecnológicas na área de máquinas e equipamentos. Segundo Coelho, o processo de avaliação do júri exige uma checagem in loco e uma conversa olho no olho com o produtor rural, cuja opinião é a principal ferramenta para ajudar na definição do ganhador. Na visita, são questionados desde os dados gerais da área trabalhada até a entrega técnica do equipamento, a relação com o fabricante, o atendimentos às expectativas, os possíveis problemas enfrentados com a empresa e com o maquinário, a manutenção e o grau de satisfação do produtor.

No início do mês, na granja da família Milbradt, em Cachoeira do Sul, Coelho foi conferir o desempenho do Hércules 10.000 Taxa Variável, da Stara, equipamento na área de agricultura de precisão.

– Acoplado ao trator, o aparelho mapeia a lavoura apontando a necessidade de nutrientes de cada local. Com as informações passadas para um GPS, direciona a distribuição e deposita os nutrientes conforme deve ser – explica Coelho.

A família Milbradt, que cultiva arroz em 750 hectares, usa o equipamento há dois anos. Edson Milbradt não cansa de enumerar os benefícios gerados pela máquina: economia em uso de nutrientes e no combustível do trator. E mais: a produtividade média da lavoura passou de 5,5 mil quilos de arroz por hectare para cerca de 8 mil quilos por hectare.

O prêmio 
- As visitas para a categoria Destaque começaram no início de julho e o resultado será divulgado no dia 30 de agosto, durante a Expointer 
- A partir de hoje os 13 jurados passam a se reunir em Porto Alegre para finalizar o processo de julgamento 
- O Prêmio Melhores da Terra existe há 26 anos e, desde que as visitações da comissão julgadora tiveram início, em 1994, os avaliadores já percorreram mais de 600 mil quilômetros, o que corresponde a cerca de 15 voltas em torno do mundo, pela linha do Equador 
- Os mais de 400 municípios visitados pelos jurados da categoria Destaque estão situados em cinco países: Brasil, Uruguai, Argentina, Paraguai e Chile

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.