Agronegócio

Oferta curta de boiadas não tem permitido recuo no preço da arroba

A oferta curta não tem permitido tais reajustes
Por: -Alex Santos Lopes da Silva
857 acessos
A desaceleração do consumo fez os preços da carne bovina caírem.

Os estoques dos frigoríficos, que estavam curtos, apresentaram ligeira melhora e, com isso, os compradores começaram a tentar negócios por valores cada vez menores para a arroba, mas sem sucesso na maior parte do país.

A oferta curta não tem permitido tais reajustes.

Em São Paulo, as compras em maior volume acontecem por R$110,00/@, à vista. Existem ofertas de até R$106,00/@, nas mesmas condições, mas o mercado trava.

As escalas de abate atendem entre três e quatro dias, em média.

As indústrias que conseguem trabalhar com boiadas próprias ou contratadas a termo possuem escalas mais longas.

Já no Rio Grande do Sul, os pecuaristas têm retirado os animais das pastagens de inverno para plantar soja. Com isso, a oferta melhorou, mas ainda assim a referência está estável.

No mercado atacadista de carne bovina, a demanda começou a recuar, com a proximidade da segunda quinzena do mês, e isso começa a refletir nos preços.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink