Oferta de vagas para qualificação será 362% maior em MT
CI
Agronegócio

Oferta de vagas para qualificação será 362% maior em MT

Pequenos produtores rurais passam a ser foco do governo federal para capacitação técnica
Por:
Número de vagas ofertadas em Mato Grosso para qualificação técnica da população de baixa renda será 362% maior este ano, em comparação com 2012. No último ano foram atendidas 10,211 mil pessoas em 24 municípios por meio do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec Brasil sem Miséria), executado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) em parceria com o Ministério da Educação (MEC). Para este ano estão previstas 47,203 mil vagas, para 117 municípios. Em todo país o programa prevê atender 790 mil candidatos, o dobro do ano passado, de 266 mil inscritos.

Em Mato Grosso, a Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia (Secitec) inicia em maio os cursos de formação inicial e continuada em assentamentos rurais, ofertados por meio do Pronatec, visando potencializar o desenvolvimento da agricultura familiar. Projeto atende solicitação das mulheres moradoras de assentamentos e acampamentos de Mato Grosso, ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que aguardam também a implantação de um Centro de Acesso à Tecnologia para Inclusão Social (Catis) no Centro de Formação e Pesquisa Olga Benario Prestes (Cecape), no assentamento Dorcelina Folador, em Várzea Grande.

Presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Mato Grosso (Fetagri), Adão Silva, diz que no Estado há aproximadamente 50 mil trabalhadores assalariados, além de 99 mil famílias assentadas e mais 60 mil pequenos produtores rurais. De modo geral, diz que os trabalhadores rurais precisam ser atendidos com outras políticas, além de qualificação. “É preciso garantir a regularização fundiária das propriedades, oferecer assistência e capacitação técnica e melhorar o crédito”.

Diz que essas medidas favorecerão a melhoria da renda no campo e que sem elas o êxodo rural continuará aumentando. “A capacitação é importante, mas do jeito que está a gente vê o desemprego crescendo e os filhos migrando para cidade, deixando os pais”. Agricultor no assentamento 28 de Outubro, em Campo Verde, Jovenil Teixeira relata que no ano passado alguns trabalhadores do assentamento participaram de um curso de gestão da propriedade. “Mas para os pequenos produtores só isso não basta. Sem acesso ao crédito ninguém consegue melhorar a rentabilidade”. Silva diz ainda que por enquanto a maioria das 70 famílias assentadas consegue sobreviver do que produz, mas alguns agricultores complementam a renda trabalhando em outras propriedades da região.

Como participar - Interessados em participar do programa de qualificação devem procurar o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) mais próximo da sua residência. Caberá às secretarias de Assistência Social de cada prefeitura mobilizar o público para o preenchimento das vagas, bem como articular com as entidades do Sistema S (Senai, Sesi, Senac, Sesc e Senar), escolas técnicas e empresários, os postos de trabalho disponíveis.

Adesão das prefeituras ao programa pode ser feita a qualquer momento. Neste mês os técnicos do MDS começam a visitar os municípios para orientar sobre a execução do Pronatec Brasil Sem Miséria. Trimestralmente será feito um processo de repactuação, para identificar novos mapas de oportunidades e especificidades locais, gerando assim a possibilidade de ampliar ainda mais o número de vagas.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.