Feijão

Operação retira cerca de duas toneladas de feijão com insetos do mercado no PR

Amostras de farinha de trigo foram colhidas para análise
Por:
82 acessos

Auditores fiscais federais agropecuários colheram na última semana amostras de 60 produtos de origem vegetal nos cinco maiores polos produtores do Paraná. O objetivo foi checar a qualidade da farinha de trigo disponível ao consumidor final. Na operação, em fiscalização aos depósitos de produtos no comércio, foram apreendidas cerca de duas toneladas de feijão com insetos vivos.

A operação, chamada de Conformidade 2, é uma iniciativa do Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal da Superintendência Federal Agropecuária do Paraná (Sipov /SFA-PR) e faz parte de um esforço da entidade de fiscalizar a qualidade e a conformidade de produtos e suas embalagens. "Além de garantir que os produtos à venda estão dentro das regras, a presença da fiscalização nos estabelecimentos tem ocorrido de maneira mais organizada e abrangente, permitindo que sejam constatados problemas com outros produtos, como foi o caso do feijão apreendido pela equipe de auditores do escritório de Londrina", explica o chefe do Sipov/SFA-PR, auditor fiscal federal agropecuário Glauco Bertoldo.

A iniciativa teve início em julho deste ano, com a operação Conformidade 1. Foram colhidas 87 amostras de milho pipoca, canjica de milho, amendoim, ervilha e lentilha. As embalagens de amendoim estavam fora do padrão exigido, e foram detectados problemas na qualidade da ervilha. "As embalagens de amendoim estavam de acordo com uma instrução normativa que já foi revogada, mas os embaladores tinham até o mês de agosto para se adequar às novas regras. Parte das amostras de ervilha estava fora do padrão, e as empresas produtoras foram autuadas", conta o auditor fiscal agropecuário José Roberto Viccino. Os dois produtos serão fiscalizados novamente em 2018.

A segunda etapa da iniciativa batizada de Prosit ocorreu em outubro e teve foco no rótulo das cervejas importadas e comercializadas no Estado do Paraná. Foram recolhidas 124 amostras, de 24 importadoras em 18 estabelecimentos comerciais. Todas as amostras apresentaram problemas na rotulagem. "As empresas serão autuadas e convocaremos os importadores para orientá-los sobre os problemas encontrados", explica a auditora fiscal agropecuária Claudia Hirt dos Santos, também do Sipov-PR.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink