Opinião: A falta de milho continua
CI
Agronegócio

Opinião: A falta de milho continua

A expectativa sobre o abastecimento de milho para as agroindústrias de SC continua
Por:
Por Ivan Ramos

A expectativa sobre o abastecimento de milho para as agroindústrias de SC continua. Na semana que passou o Governo Federal anunciou que fará leilão de compra de 150 mil toneladas para atender o sul e o nordeste brasileiro, criando uma nova modalidade de operação, e com proposta diferente daquela que estava sendo reivindicada pelo setor de consumo do cereal. Pretende comprar milho no Paraná para atender SC e RS, e na Bahia para atender o nordeste. Na prática quer evitar o passeio de milho, cujo frete além de difícil contratação, onera significativamente o custo final. Se funcionar a nova estratégia e se a burocracia oficial não demorar tanto quanto costuma acontecer, poderá amenizar em parte os problemas dos pequenos produtores, os chamados independentes, haja vista que a pretensão governamental é comprar o milho em leilão, portanto com preços em aberto, mas vender a preços subsidiados, apenas aos pequenos criadores já que a venda será na modalidade de balcão, que tem limitações de volumes e porte de produtores-consumidores. Espera-se que com essa medida reduza as queixas dos pequenos por falta de milho, e diminuam as críticas de falta de ação governamental.


Mas e o caso das pequenas e médias agroindústrias que precisam de 1,5 milhões de toneladas só para SC, como serão atendidas? O pleito das entidades do setor de subsídio de R$ 5,00 por saco para que elas mesmas busquem o produto no centro-oeste, ou onde tiver, por enquanto está sem resposta. Parece que não há preocupação do governo federal em salvar essas empresas. Não deve estar fazendo as contas do que elas representam para os estados, os municípios e até mesmo para os governos estadual e federal. O fechamento de agroindústrias inevitavelmente provocará problemas econômicos e sociais às comunidades onde elas estão inseridas, mas também na movimentação econômica do Estado e país, com consequente redução de arrecadação de tributos.


Dizem as lideranças do setor que se o governo fizesse as contas de quanto custaria subsidiar o milho em R$ 5,00 por saco, e quanto o país vai perder por não salvar as agroindústrias, certamente agiria diferente. A verdade é que o governo está preocupado em ajudar os pequenos, o que é justo, mas está fazendo corpo mole para ajudar as agroindústrias. Depois que ocorrerem fatos desagradáveis no setor, afetando também os produtores independentes, não adiantará chorar o leite derramado. Pense nisso.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink